Eu fracassei. E agora?

  • mel gibson com rosto pintado

Eu fracassei. E agora?

Dezenas de homens chegam pra mim procurando por conselho perguntando:

“Devo chegar na garota dos meus sonhos em um ângulo de 33º em relação ao Norte e conversar com ela num tom de voz a 218 hertz?”

“Se eu quiser sexo casual, mas apenas mulheres de 1.65m, loiras, dos olhos claros, que nunca vão me rejeitar na vida, devo procurar no Tinder, no Happn ou no Badoo?”

“Devo me candidatar a uma vaga de emprego nesse famoso escritório de advocacia ou nessa tradicional empresa de investimentos ou nessa grande escola médica?

E eu simplesmente digo pra eles: faça o que você achar melhor.

Poucos são os que aceitam esse “conselho”.

A maioria desses caras chegam até mim justamente por não terem a minima ideia do que eles tem que fazer para nunca sofrerem uma derrota na vida.

Só que a realidade é que ninguém sabe.

É impossível fugir das falhas e das derrotas na vida de vez em quando.

Devido a uma péssima educação dada pelos pais e pela doutrinação da mídia em massa, foi criada uma cultura de “aversão ao fracasso” e nada além da perfeição é o suficiente para que as pessoas fiquem satisfeitas.

O que leva as pessoas ao medo de se empenhar em qualquer coisa que resulte em algo que seja “quase perfeito”.

Vamos ser honestos e começar do básico:

Nada do que você for fazer pelas primeiras vezes vai ser minimamente bom.

Você não vai colocar uma bola no pé e diblar melhor do que o Neymar ou o Ronaldinho Gaúcho.

Você não vai pegar uma caneta e um papel pela primeira vez e desenhar igual ao Leonardo Da Vinci.

Você não vai se sentar no computador, abrir o Word pela primeira vez na vida, e escrever melhor do que um Graciliano Ramos.

Você não vai abrir o seu Badoo e conseguir sexo em 10 minutos com a primeira gata que você encontrar.

É muito óbvio que você precisa passar pelos primeiros passos de aprendizado de qualquer coisa antes de começar a ficar mediano naquela coisa.

Ou como diz aquela frase:

“O primeiro passo para ficar bom em qualquer coisa é ser ruim naquela coisa”.

E aí depois que você melhorar até um nível mediano que você deve se preocupar com detalhes pequenos.

O importante de tudo, sempre, é a ação. Mesmo que dê errado no começo.

Eu não gosto daqueles caras que falam pra mim “Mas eu preciso me preparar antes de ir lá fazer o que eu tanto desejo! Eu preciso estudar muito!”.

Os caras que mais chegam longe são aqueles que falam “Cara, tentei isso aqui e não deu certo. O que você acha que eu devo fazer pra dar certo na próxima?”

Homens que desistem logo no começo e nunca mais tentam por medo de errar e falhar de novo… adivinha? Nunca são bem sucedidos em nada.

E isso é importantíssimo para você também.

Não existe essa coisa de “a oportunidade perfeita”.

Existem milhares de oportunidades por aí, algumas melhores do que as outras.

Mas quem torna essas oportunidades em algo concreto é o homem que se arrisca, erra, melhora, acerta, e está sempre preparado para o próximo desafio.

Você não sabe como dar em cima daquela garota na rua? Ótimo, chegue nela e fale “Você tá muito bonita hoje, quer tomar um sorvete comigo?”.

Não funcionou? Ótimo. Você já está na frente de 99% dos homens do mundo que NUNCA tentaram uma abordagem em uma mulher sem estar entorpecidos de álcool e dentro de uma balada.

Agora na próxima vez você pode tentar algo diferente, dar um sorriso, falar com mais convicção… ou simplesmente fazer tudo do mesmo jeito e simplesmente encontrar uma garota que, dessa vez, está solteira.

Você não sabe que tipo de treino fazer na academia pra ter um corpo mais bonito? Não sabe quais suplementos tomar, quais comidas comer?

Sim, você sabe o que você deve fazer, e é muito simples.

Simplesmente levante da porra da cadeira, vá até a academia, e siga o que for que o seu instrutor falar pra você fazer. E seja consistente.

E aí quando chegar em casa não vá comer aquelas porcarias que você tá acostumado a comer. Simplesmente coma um bifão bem temperado e com um purê de batata.

Foda-se o suplemento.

É muito melhor terminar o dia com um ovo mexido com bacon do que ficar gastando centenas de reais na novíssima marca de Whey que lançou que não serve pra nada.

Não sabe pra qual emprego se candidatar?

Para de frescura no rabo e se candidate a todos eles. Chegando na entrevista, finja que você sabe muito mais do que você sabe.

Se mostre o cara mais seguro do mundo e diga que você vai fazer o seu empregador ganhar 10x mais do que ele ganharia se contratasse outra pessoa.

E aí quando as propostas chegarem você negocia a melhor que for pra você.

Nada disso é de fato “difícil”.

Mas tudo isso precisa de bolas e coragem.

Coisa que, cada dia mais, está se tornando raro entre os homens.

Não há absolutamente nada de errado em querer ser o melhor.

Mas até chegar lá você deve falhar repetidamente ao longo do caminho.

Saia de casa, falhe mais, aprenda, melhore.

 

AJUDE SEU AMIGO FRACASSADO, COMPARTILHE COM ELE:

7 Comentários

  1. João Nuno 22 de setembro em 17:20- Responder

    é falhando que se aprende, sabendo lidar com a frustração…

  2. srsouza 24 de setembro em 01:01- Responder

    Boa Denis
    Mais um excelente tapa na cara
    Gostaria de sugerir um próximo artigo
    Que você volte a recomendar uma lista de livros de crescimento pessoal
    Para atualizar aquela lista de 5 que você fez acho que em 2015

    • Denis Carvalho 27 de setembro em 17:49- Responder

      srsouza, valeu! E esse era um artigo que eu já estava pensando em fazer! Provavelmente será o próximo artigo

  3. Anubis 27 de setembro em 23:11- Responder

    Olá, Denis!
    Tenho que te dizer, cara:

    Graças ao seu site, tive coragem de pegar o telefone de uma gata de 19 anos numa condução (Tenho 40). Graças aos teus incentivos, decidi transformar meu shape meia-boca e partir pro up grade numa academia e me transformar num imã de mulher. E, mais uma vez, graças a você recentemente tive um ótimo bate-papo com uma gracinha lá do Badoo – ainda que eu esteja empregando a filosofia da “abundância de oferta” – seguindo mais ou menos a tua fórmula. Mas acho que errei no timing. A garota estava envolvida, dando risada, interagindo e conversando um tempão. Dando altos sinais de que estava afim. Envolvida mesmo! Mas conforme eu passei a marcar um encontro, ela pedia mais tempo de interação. Até que ela se fechou decidindo que a gente não iria se encontrar. O caso, no meu entender, é que puxei o anzol antes do tempo.
    Quanto tempo em média a gente deve levar para “fechar” com a garota? Dias? Semanas? Eu tentei dentro de algumas horas.

    Parabéns pelo teu excelente trabalho!
    Com tudo que tenho aprendido por aqui, valeu muito pela aprendizagem e experiência.
    Grande abraço!

    • Denis Carvalho 2 de outubro em 14:38- Responder

      Anubis, que relato foda! É muito gratificante de saber que alguém com muito mais experiência de vida do que eu está se beneficiando de algo que eu me esforcei tanto pra aprender.

      Sobre a questão do Badoo, essa é uma questão de conforto. Não existe um tempo exato até as mulheres se sentirem confortáveis. Cada uma leva um tempo diferente. Já saí com garotas com apenas 30 minutos de conversa, assim como já saí com garotas que só se sentiram confortáveis de se encontrar com alguém que conheceram pela internet depois de duas ou três semanas de conversa.

      O que é provável que aconteceu é que você PRESSIONOU muito ela. Como você mesmo disse, ela pediu mais tempo de interação e mesmo assim você insistiu em tentar fechar o negócio. Isso provavelmente assustou ela.

      Teria sido melhor esperar um tempinho a mais (talvez um dia ou dois) e aí tentar fechar o negócio de novo. Tem que deixar a garota “ver o filme na cabeça dela” de que vocês vão se encontrar.. e pra isso algumas mulheres precisam de tempo.

      Mas esse é o caminho, Anubis! Errar e aprender, e acertar da próxima vez com alguma mulher ainda mais gata e que se conecte ainda mais com você.

  4. Elric Leon 3 de outubro em 20:58- Responder

    Tem que meter o loco mesmo

Deixar Um Comentário