Skip to main content

Mulher: A Adolescente Mais Responsável na Casa?

Esse é um dos artigos mais controversos e mais edificantes que eu já li. Ele foi escrito há alguns anos e é referência para inúmeros textos da blogosfera masculina que vieram depois dele.

Ele é controverso por um motivo claro: a maioria das mulheres simplesmente o condenam como a mais pura mentira misógina mas são incapazes de refutá-lo. Como crianças mimadas, a maioria não consegue nem passar pelo título e já abrem o berreiro gritando “machismo”.

Por ele ser contrário às suas convicções imaturas de que o cérebro feminino é, em todos os aspectos, melhor que o masculino, elas não conseguem aceitar uma verdade biológica que é conhecida há algumas centenas de anos.

Fiz questão de traduzir esse texto para que os leitores brasileiros do Novo Homem pudessem ter acesso a esse que é um dos mais esclarecedores artigos sobre o comportamento feminino ao longo do tempo. O texto original está aqui. Mantive até as mesmas imagens ao longo do texto para tentar mantê-lo o mais fiel possível ao original.

 

Boa leitura!

As mulheres são realmente adolescentes?

A princípio pode parecer uma afronta aos seus sentidos comparar mulheres adultas com meras crianças ou adolescentes. Mas como isso é possível? Elas envelhecem e amadurecem exatamente como os homens.. ou não? Assim que elas atingem 30 ou 40 anos, elas não agem como adultos homens aos 30 ou 40 anos?

Na verdade, existe muito mais evidência dizendo o contrário. Talvez os homens acreditem que as mulheres amadurecem da mesma forma que os homens (ao longo de toda suas vidas) porque nos estágios iniciais de nossas vidas, as mulheres realmente amadurecem mais rápido que os homens.

Quanto mais nobre e perfeita é uma coisa, tanto mais tarde e mais lentamente ela atinge a maturidade. O homem dificilmente alcança a maturidade de sua razão e de suas capacidades intelectuais antes dos vinte e oito anos de idade; a mulher, aos dezoito. Trata-se também de uma lógica: uma lógica bem medida. Por isso, as mulheres permanecem crianças ao longo de toda a sua vida, sempre vêem apenas o que está próximo, prendem-se ao presente, tomam a aparência das coisas pelas coisas em si e antepõem ninharias aos assuntos mais importantes.

— Arthur Schopenhauer, A Arte de Lidar Com as Mulheres.

A razão pela qual as mulheres amadurecem mais cedo que os homens não é um triunfo para elas, apesar de elas parecerem adorar repetir essa informação incompleta sempre que podem. O que realmente acontece tem a ver com as mulheres darem à luz e de serem biologicamente as cuidadoras naturais de suas crianças. Elas amadurecem mais rápido do que os homens porque quando elas se tornam férteis após a puberdade, elas tem que ter a capacidade mental de tomar conta dos filhos que ela pode gerar. Não há na natureza um organismo fêmea que seja capaz de dar à luz e que ao mesmo tempo não seja capaz de cuidar da sua prole. Isso não apenas se manifesta através do seu quadril se tornar capaz de dar à luz ou dos seus seios de produzirem leite, mas também através de uma maturidade mental que seja capaz de prover o básico do cuidado às suas crianças. Você pode notar também, que mesmo na nossa presente sociedade, quando as meninas atingem a idade de 12 anos elas passam a se interessar por atividades de babá e é na puberdade que os adultos passam a confiar em meninas para tomar conta sozinhas de crianças. Isso coincide com a biologia feminina, ao passo que é também nessa idade que elas se tornam capazes de dar à luz, e sua maturidade mental atinge sua maturidade biológica.

A diferença entre a maturidade masculina e a feminina, entretanto, é que enquanto a mulher amadurece cedo, ela também pára de amadurecer quando atinge os 18 anos, como Schopenhauer eloquentemente observa. E mesmo que o homem não atinja o nível de maturidade da mulher até que atinja mais ou menos a idade de 28 anos, após isso o homem continua amadurecendo – em geral durante toda suas vidas. William James descreve o mesmo processo de amadurecimento em seu Princípios de Psicologia, no qual ele diz:

Nós observamos uma diferença idêntica entre o homem como um todo e a mulher como um todo. Uma mulher de vinte anos reage com prontidão intuitiva e segurança em todas circunstâncias usuais pelas quais ela se encontra. Seus gostos e desgostos estão formados; suas opiniões se mantém, em geral, as mesmas durante toda sua vida. Seu caráter está, de fato, formado em sua essência. Como é inferior a ela um rapaz de vinte anos sob esses aspectos! O caráter dele é ainda gelatinoso, incerto de qual forma irá assumir, “testando” todas as direções. Sentindo o seu poder, mas ainda ignorante da maneira como ele irá expressá-lo, ele é, comparado à sua irmã, um ser de contorno não definido. Mas a ausência de uma tendência inata em seu cérebro de se definir em modos particulares é também a condição pela qual ele irá se tornar muito mais eficiente do que a mulher. A própria falta de linhas de raciocínio pré-fabricadas é a base sobre a qual os princípios gerais de seu juízo irão crescer; e o cérebro masculino lida com nova e complexa matéria indiretamente pelo meio destes, de forma que o método feminino de intuição direta, admirável e rápido dentro de seus próprios limites, só pode em vão ter esperanças de se comparar

— William James, Princípios de Psicologia

 

Seria como comparar um vinho fermentado por três meses em uma caixa de papelão com um whisky envelhecido por décadas dentro de um barril de carvalho: as mulheres amadurecem mais rápido que os homens mas param de amadurecer mais ou menos com a mentalidade de dezoito anos de idade (ou também, eu suponho, com a mentalidade de um homem de 28 anos), tornando a mulher, literalmente, a mais responsável adolescente na casa.

É interessante notar também quantos homens afirmarem que foi mais ou menos na idade de 27 ou 28 anos que eles começaram a “enxergar as coisas como elas realmente são” em relação às mulheres, ou ao menos muito mais do que eles enxergavam numa idade mais nova.

Para enfermeiras e educadoras em nossa primeira infância, as mulheres se mostram particularmente adequadas, já que são infantis, tolas e têm visão curta. Em poucas palavras, são crianças grandes: uma espécie de estágio intermediário entre a criança e o homem, que é, este sim, uma pessoa de verdade..

— Arthur Schopenhauer, A Arte de Lidar com as Mulheres (1851)

A razão pela qual as mulheres para de amadurecer mais ou menos na idade de dezoito anos também tem a ver com o seu destino biológico como mães e cuidadoras da prole. Como nota Schopenhauer, mulheres também podem brincar e arrulhar como crianças durante um dia todo e ainda se divertir sem culpa, enquanto um homem não seria capaz de fazer o mesmo. Mulheres, como elas adoram vangloriar para nós, são também mais “emocionalmente sintonizadas” do que os homens. Mas as propensões emocionais femininas são diretamente relacionadas com os seus deveres de mãe. Bebês, por exemplo, comunicam apenas através de suas emoções, e mesmo crianças que se comunicam com palavras e linguagem, tem a maior parte da sua comunicação baseada na emoção. Assim as mulheres estão num estágio intermediário de desenvolvimento entre a criança e um homem adulto, ou, em outras palavras, no estágio da adolescência.
Além disso, ainda sobre o estado emocional feminina, é importante notar que uma pessoa não pode ser emocional e também racional ao mesmo tempo, então não é que as mulheres sejam mais emocionalmente sintonizadas enquanto permanacem racionais. O oposto é verdade. Quanto mais você se “emociona”, menos você “pensa”. Tome como exemplo alguém furioso em um acidente na estrada. Suas emoções de raiva são capazes de anular qualquer racionalidade do indivíduo, fazendo com que ele cometa atos irracionais de violência extremos dos quais ele só depois irá se arrepender profundamente. Como as mulheres estão, geralmente, em um estado emocional muito mais profundo do que os homens, elas não utilizam tanto a razão para guiar suas atitudes como os homens usam.

***NOTA: Sobre esses conceitos, coloquei notas adicionais ao artigo no final da página.***

 

O que é Meu é Meu, e o que é Seu é Nosso

 

Que marido não entende esse conceito natural do casamento após um tempo? Mas, no limite, não é exatamente essa a mesma atitude dos adolescentes em relação as coisas da sua família?

Pense em como um adolescente se refere ao carro da família, o qual os pais compraram, como nosso carro. Mas o celular que ele comprou com o dinheiro que ele ganhou no estágio é o seu celular. Não é o padrão de um adolescente acreditar que as possessões dos seus pais são “nossos” enquanto as possessões dele, que ele comprou com seu próprio dinheiro, são “dele” e unicamente dele? Isso imita com precisão até mesmo o casamento dos meus pais, o qual meu pai trabalhou sua vida inteira para pagar as contas e colocar um teto sobre nossas cabeças, mas quando as crianças estavam na escola e minha mãe saiu trabalhar, o dinheiro que ela recebia era “dinheiro dela”. Esse dinheiro não ia para as contas da família como o salário do meu pai ia, ele se tornou o seu “dinheiro especial”, da mesma forma que o dinheiro de uma criança é “o dinheiro dela”.

 

(Neste momento eu sinto que…)

 

Talvez você já tenha ouvido o antigo ditado “É uma prerrogativa feminina de mudar sua cabeça…”. Isso é algo que nós consideramos como um comportamento fofo (mesmo que ele possa causar danos a outros), mas pense por um momento como isso lembra o comportamento de crianças e adolescentes. Pergunte a uma criança o que ela quer ser quando crescer e ela dirá “bombeiro”, e então pergunte uma semana depois e ela dirá “astronauta”. Os adolescentes vão fazer isso durante o ensino médio e entrar numa faculdade da qual, na maioria dos casos, vão mudar de opinião sobre o curso e mudar de faculdade. Isso sem contar que mesmo depois de se formarem, os planos podem mudar mais uma vez.

Se eu fosse um pai de um adolescente que dissesse pra mim que ele gostaria de ser médico no futuro, eu iria inserir mentalmente “(Neste momento eu sinto que) quero ser médico”, antes de qualquer frase informando as vontades do dito adolescente. Certamente, eu não estaria certo 100% do tempo, mas a probabilidade de eu errar seria tão pequena que não valeria o esforço de considerar o contrário.

Uma das tristes verdades sobre entrar na fase adulta é que você é forçado a tomar decisões e manter-se fiel a elas caso queira ser bem sucedido nas suas escolhas. Uma pessoa que decide cedo por uma carreira de mecânico provavelmente será mais bem sucedido na sua vida profissional do que um amigo que passa dos 18 aos 24 anos estudando para ser um psicólogo, mas então desiste e passa outros 6 anos de sua vida tentando uma carreira tentando ser engenheiro, e depois desiste e tenta uma qualificação como contador. Parte da vida adulta consiste em fazer escolhes e se manter fiel a elas no longo prazo, para que suas escolhas deem frutos. Aqueles que mudam de opinião frequentemente, dificilmente verão o fruto do seu trabalho. Em outras palavras, fazer a escolha de seguir em uma direção em geral fecha as portas para outras escolhas. Nós permitimos que as crianças tenham uma grande oportunidade de mudar de opinião, mas depois de um tempo começamos a insistir para que façam uma escolha e permaneçam com ela.

As mulheres também mudam de opinião como os adolescentes fazem. Claro, ela pode decidir que (agora ela sente que) quer se tornar médica, mas a evidência mostra que na profissão médica, a maioria das mulheres que estudam pra ser médicas passam menos de uma década trabalhando até se decidir que (agora ela sente que) quer ser mãe. Depois disso, a maioria dessas mulheres decide que (agora ela sente que) ela só quer trabalhar meio período. É claro, com o passar do tempo, ela tem menos e menos experiência do que o médico homem que nunca “tirou férias” para explorar outras escolhas que a vida tem a oferecer e logo a supera em termos profissional, mesmo que o Patriarcado não conspire por trás dos panos para não permitir que ela tenha sucesso.

“Quando uma mulher te dá a chave para o seu coração, ela pode mudar a fechadura no outro dia”

Quando uma mulher diz para você que ela vai te amar para sempre, insira a frase “Neste momento eu sinto que” antes, aí você vai ter a tradução correta do Mulherês: “(Neste momento eu sinto que) eu vou te amar para sempre”. Toda a evidência histórica mostra que votos tem que ser feitos diante de autoridades diante de tal afirmação, já que a vasta maioria dos divórcios são iniciados pelas mulheres.

– “Você aceita seu marido, para amar e respeitar, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza, até que a morte os separe?”

– “(Neste momento eu sinto que) Eu aceito!”

É claro que as mulheres se mantém fiéis às suas escolhas do que as crianças, mas elas não fazem isso da mesma forma que os homens fazem. Em outras palavras, o comportamento feminino se encontra em um lugar entre o de uma criança e o de um homem.. tipo o de um adolescente.

 

Os shit-tests femininos são similares aos limites que as crianças necessitam

 

As mulheres são realmente adolescentes?Qualquer um que criou crianças sabe que as crianças buscam por limites e são mais felizes quando elas descobrem que esses limites existem e que elas serão punidas caso ultrapassem esses limites. Uma criança que não tem limites estabelecidos pelos seus pais vai se sentir vencedora no curto prazo, mas no médio e longo prazo vai passar a guardar rancor de tudo à sua volta e se tornar miserável.

As mulheres não são diferentes. Instintivamente elas testam um homem com todo tipo de comportamento irracionais e basicamente abusivo, para testar a força do caráter de um homem e a sua habilidade de lidar com tais porcarias. Se o homem “passa” nos seus testes, ela se acalma e se contenta em viver dentro dos limites estabelecidos pelo homem. A partir do momento que ela sabe que existem limites e que o seu homem está disposto a firmar seu pé neles, ela sabe que o seu parceiro é capaz de prover e proteger e então ela pode relaxar sob a sua liderança.

O comportamento das crianças procurando por limites dos seus pais e os testes de masculinidade vindo das mulheres são marcadamente similares.

(Neste estudo é ilustrado como Mulheres Anseiam Por Limites)

 

Homens Amam Mulheres, Mulheres Amam Crianças, Crianças Amam Filhotes

 

Existe uma “ordem” de como o amor funciona e essa ordem funciona apenas em uma direção. Até nos mais antigos textos da humanidade, como a Bíblia, é ordenado que os homens devem amar suas esposas enquanto as esposas devem “honrar” os seus maridos em troca. As crianças também são ordenadas a honrar seus pais. O amor é uma besta hierárquica que descende para baixo. A única forma em que ele funciona no reverso é através da honra e do respeito, porque o amor recíproco nunca é igual.

Uma criança nunca vai amar seus pais da mesma forma que os pais amam sua criança. Facilmente vemos pais que sacrificariam tudo pelas suas crianças – muitas vezes até a própria vida – mas raramente vemos o inverso acontecer. De fato, até num nível de sociedade, nós consideramos que é “a coisa certa” quando um pai ou uma mãe sacrificam suas vidas para salvar a vida de seus filhos. Toda o trabalho de criar uma criança até sua fase adulta envolve enormes sacrifícios por parte dos pais em forma de tempo, frustração, entrega de recursos, a negação dos sonhos dos pais, entre outros. Isso nunca é devolvido aos pais de forma igual, nem mesmo quando a criança atinge a fase adulta, porque a criança provavelmente já terá seus próprios filhos que necessitarão de seus sacrifícios também. Mesmo que ter um filho seja um sacrifício de apenas uma via, os pais ainda são compelidos instintivamente a fazê-lo, mesmo que, racionalmente falando, esse não seja o maior interesse dos pais. O que os pais podem esperar é que seus filhos honrem eles e os respeitem por seus sacrifícios – mas o seu amor nunca vai ser igual ao que os seus pais deram para eles. Isso apenas é a ordem natural da vida.

Da mesma maneira, o amor de uma mulher por um homem nunca será igual ao amor de um homem por uma mulher. A ordem natural e a hipergamia feminina dita que o homem deve estar um nível acima de sua mulher. Um homem pode amar uma mulher como uma mulher ama uma criança, mas o amor recíproco só existe em forma de honra e respeito. Casamento moderno em uma imagemAssim como uma criança espera instintivamente que seus pais tomem conta dela, assim uma mulher instintivamente espera que o seu homem tome conta dela. É uma via de mão única. Uma mulher nunca será capaz de amar igualmente um homem que a ama. Na melhor das hipóteses, ela irá honrar e respeitar ele pelo que ele faz por ela.

De fato, na questão do amor romântico, você pode perceber que a mulher não se sente tão apaixonada pelo homem como um indivíduo, mas ela se apaixona pelo relacionamento. O homem é meramente um figurante que pode ser facilmente substituído por outro que queira assumir o papel. Se qualquer homem espera ser um “parceiro igual” de sua mulher, ele logo verá que sua mulher passará a desrespeitá-lo e a buscar outro homem que decididamente não é igual e que liderará ela.

 

As mulheres são o sexus sequior, o sexo que sob qualquer ponto de vista é o inferior, o segundo sexo, e em relação a cuja fraqueza deve-se, por conseguinte, ter consideração. Contudo, demonstrar-lhes veneração é extremamente ridículo e nos diminui aos olhos delas. Quando a natureza dividiu o sexo humano em duas partes, não fez o corte exatamente na metade. Em toda polaridade, a diferença entre o pólo positivo e o negativo não é puramente qualitativa, mas também quantitativa. É assim que também os antigos e os povos orientais viam as mulheres e, conseqüentemente, reconheciam a posição adequada a elas muito melhor do que nós, com nossa galanteria francesa fora de moda e nossa veneração despropositada às mulheres – a mais fina flor da estupidez germânico-cristã –, que só serviu para torná-las arrogantes e sem consideração, fazendo às vezes lembrar os macacos sagrados de Benares, que, por terem consciência de sua santidade e inviolabilidade, se permitiam tudo e qualquer coisa.

— Arthur Schopenhauer, A Arte de Lidar Com as Mulheres.

 

Você não pode esperar que uma mulher seja a sua verdadeira confidente, sua alma-gêmea, e também a sua rocha na qual irá se segurar nos tempos de tempestade que virão em sua vida. Esse é o seu papel para o benefício dela. Isso não funciona do modo inverso, e a partir do momento que você acreditar que pode funcionar do jeito contrário, ela irá perder a confiança na sua habilidade de liderar e irá ter ressentimentos de você. E ela irá mostrar o seu ressentimento ao tornar a sua vida o mais miserável que ela conseguir. Essa talvez seja uma das mais difíceis lições que um homem tem que aprender na vida porque ele vai contra toda a noção do amor moderno no qual existe uma igualdade entre o que se dá e o que se recebe. As implicações podem ser de certa forma depressivas, já que isso significa que a certo nível um homem estará sempre sozinho. Um pai que espera em seu filho um amigo em termos de igualdade ao precisar de apoio, se verá desapontado com os resultados que nunca atingirão suas expectativas. A criança espera, instintivamente, que os pais sejam superiores que vão atender às suas necessidades. A mesma ordem se mantém entre um homem e uma mulher, do contrário ela se ressentirá e procurará um homem que de fato irá liderar ela.

 

A Crise Dos Dois Anos

 

“Caso alguém dê uma olhada à volta de nossa atual cultura e tomar nota de todos os efeitos destrutivos que a atitude de egocêntrica feminina provoca, e então criasse controles sociais que prevenissem esses efeitos devastadores no futuro, eu acredito que isso iria resultar em valores sociais muito parecidos com o que hoje se chama de “patriarcado”.

Ao invés de ver o feminismo como um “condicionamento” que faz as mulheres agirem de maneira completamente egocêntrica, eu vejo mais o feminismo como um processo que se aproveitou da tendência natural de todos os organismos de buscar resultados egoístas e passou a tratar tudo o que era contrário a essa tendência como “opressão”.

Todo pai que teve um envolvimento diário na criação é familiar com o estágio chamado de “crise dos dois anos”. Este é o estágio no qual a naturalmente egoísta criança é forçada a lidar com o fato que seus desejos nem sempre vão ser atendidos e sua vontade não vai sempre prevalecer. Eu não tenho dúvidas que se a criança fosse capaz de expressar os seus sentimentos, ela iria considerar a imposição de valores externos como “opressão”.
A vasta maioria das mulheres que eu conheci pareceestar presa emocionalmente aos dois anos de idade. Qualquer frustração em relação aos seus desejos resulta em um ataque de birra infantil. Na maioria dos casos esses ataques são mais sutis do que se jogar no chão e abrir o berreiro, mas não deixam de ser birras infantis. Então, ao invés de dizer que o feminismo “condicionou” as mulheres a agir de maneira imatura, egoísta e totalmente egocêntrica, eu descreveria isso como se feminismo destruísse o sistema de valores da sociedade e o processo de condicionar as mulheres a expressarem ainda mais a sua visão de mundo infantil e narcisista.” – The Wisdom of Zenpriest

 

A Mimada da Sua Irmã Mais Nova

 

“… Mulheres, então, são apenas crianças de tamanho grande.. Um homem de bom senso apenas brinca com elas, ri com elas e as elogia, assim como ele faz com uma criança; mas ele não as consulta, nem confia nelas para assuntos sérios; entretanto, ele as faz acreditar que ele faz os dois; porque essa é a coisa que elas tem mais orgulho (o que por sinal, elas sempre estragam); e por acreditar que os homens, em geral, não confiam nelas, elas praticamente adoram o homem que fala mais seriamente com elas, e que parece consultá-las e confiar nelas; eu digo, que parece; os homens fracos realmente as consultam, mas os sábios só parecem consultar…

— Lord Chesterfield, Cartas ao seu filho (1748)

Criança mimadaQuando se trata de sedução, um homem deve tratar uma mulher como se ela fosse a mimada da sua irmã mais nova:

“… Quanto mais você tratar as mulheres como sua irmã mimada, mais elas deixarão de lado as suas habilidades críticas. Isso é reflexo do mais fundamental princípio sobre as relações homem-mulher: as mulheres amam render-se a um homem poderoso. E qual seria uma maior demonstração masculina de poder do que acreditar que uma mulher está tão abaixo de você que ela se assemelha a uma criança, e que dificilmente merece uma resposta séria ou um investimento emocional?

Então você entra uma mentalidade de “tudo o que ela faz é fofo”. E o que “tudo o que ela faz é fofo” significa na prática? Significa não se irritar quando ela testa você. Significa não se explicar quando ela fala alto e aponta o dedo pra você. Significa nunca pedir desculpas quando ela está nervosa por alguma infração misteriosa que você cometeu. Lembre-se que quando uma mulher se irrita, ao menos metade dessas vezes ela não está irritada pelo motivo que ela está te acusando; ela só está irritada porque o seu comportamento causou uma broxada temporária nela.

A tática do “tudo o que ela faz é fofo” pode ser definida mais precisamente como um refinamento da sua própria mentalidade. Quando você passa a pensar nas mulheres como crianças mimadas que não sabem o que fazem, você passa a tratá-las de maneira consistente às suas crenças. Com uma reprogramação correta da sua forma de pensar (por exemplo, chutando o suporte que mantém uma mulher em um pedestal), logo as palavras saindo da sua boca serão expressões verbais do que você realmente sente. É aí que está o segredo de um sedutor natural – um natural verdadeiramente acredita nas besteiras charmosas que eles dizem para as mulheres.”

— Chateau Heartiste
(Também leia “Lesson Thirteen: Charm is Treating Women Like Little Girls” (Lição Treze: Charme é Tratar Mulheres Como Crianças — The Book of Pook)

Conclusão

Ao contrário do que os “especialistas” em relacionamentos dizem para você, a chave para um relacionamento de sucesso não é uma comunicação aberta e honesta.

É verdade que deve existir uma forma de “respeito mútuo”, mas esse respeito não pode ser igualitário em tudo. Um pai pode respeitar a criança e respeitar as necessidades dessa criança, mas se o pai tratar a criança como um igual ele estará cometendo um grave erro. De forma similar, um homem pode respeitar uma mulher, mas se ele ousar tratar ela como uma igual, logo ela terá ressentimentos dele e irá procurar um homem que se coloque como superior – como um líder – em relação a ela. Ela procura isso instintivamente. Ela é como a água que procura um recipiente que irá definir suas “verdades”. No caso da sedução, a mulher também procura um homem que é capaz de agir de forma superior a ela, então mesmo que você ainda não esteja convencido de que mulheres são meras crianças em um corpo de adultas, você deveria tratá-las como se fossem crianças para assim mantê-las interessadas sexualmente em você.

Quando um homem se casa com uma mulher, ele dobra suas obrigações enquanto perde metade dos seus direitos. Isso era verdade até nos casamentos mais antigos. É uma grande responsabilidade e envolve muito esforço para tornar uma mulher sua esposa, assim como também é a tarefa de criar um filho. Você não pode esperar que crianças, ou mulheres, vão atender suas necessidades de intimidade emocional ou então de serem “alguém para você se apoiar” em momentos de conflito. Na verdade é o oposto: esse é o seu dever como pai e também como marido.
A maior parte das nossas leis modernas, e praticamente todos os “especialistas” em ciências sociais, fizeram tudo o possível para minar as habilidades de um homem ser realmente um homem para sua esposa. O atual estado das coisas perturba completamente a hierarquia natural entre homem e mulher. Da mesma forma que seria quase impossível para um pai criar propriamente o seu filho caso o governo criasse dezenas de leis desconstruindo o papel natural dos pais e restringindo-os de impôr limites aos seus filhos, está se tornando cada vez mais difícil para um homem assumir o seu papel de líder que as mulheres instintivamente buscam e necessitam.

 

O feminismo começa de forma bem simples. Ele começa do instinto de uma pequena criança que diz “isso não é justo” e “você não manda em mim”, e ele termina se tornando uma visão de mundo que questiona todo o sistema de hierarquias de uma vez

— Gloria Steinem, no especial de duas horas da HBO chamado “Gloria: In Her Own Words.”

 
—————————————————————————————————————————

***Adições ao artigo***

“Os homens não se perturbam ao ouvir que um homem foi criticado, porque eles sabem que mesmo que ele não valha nada, existe valor nos outros homens; mas as mulheres ficam completamente perturbadas ao ouvir qualquer uma das suas ser criticada, porque é como se todo o seu gênero fosse culpado de uma falta de dignidade.”

– John Seldon (1584-1654)

Se você mostrar este artigo para qualquer mulher (eu recomendo que você nunca faça isso) verá o quanto elas ficam furiosas em questão de segundos, mas isso não acontece com os homens – exceto, é claro, pelos homens feminilizados e os escravos de buceta. Eu ainda não vi um homem de verdade ficar nervoso com este artigo que descaradamente sugere que os homens são mais imaturos do que as mulheres até a idade de 28 anos (e este artigo também diz que os homens são menos valorizados do que as mulheres na sociedade). Quero dizer, não há um adolescente ou um adulto homem nos seus vinte anos que se ofenda minimamente com as afirmações de que eles não são tão maduros quanto suas pares femininas, porém parece que as mulheres têm ataques cardíacos virtuais ao ler qualquer sugestão de que os homens tem algum tipo de vantagem sobre as mulheres – em qualquer instante ou lugar.

E, apenas como nota, é virtualmente aceito cientificamente que as meninas, de fato, amadurecem mais rápido do que os meninos, tanto fisicamente quanto mentalmente (o que já prova que o cérebro masculino e o cérebro feminino não são iguais). Fisicamente, por exemplo, na puberdade as meninas amadurecem mais rapidamente quanto à altura. Mas como nós sabemos, mesmo que os meninos comecem a crescer mais tardiamente do que as meninas, os meninos ficam significantemente mais altos que as meninas. Além do mais, os homens não atingem o ápice de sua forma física até o final dos seus vinte anos. Entretanto, uma mulher aos 18 anos atinge o que pode ser chamado de ápice físico e sexual nessa idade, e ao chegar nos seus trinta anos começa o declínio.

Ou seja, as pessoas que ficam bravas com esse artigo, por um lado, aceitam a superioridade feminina (meninas amadurecem mais rápido que os meninos) mas reclamam – fazendo birra como crianças, pra falar a verdade – que existe alguma vantagem para os homens mais tarde em suas vidas. Em outras palavras, elas estão tentando mostrar a suposta superioridade do cérebro feminino, e não a sua igualdade. Se o cérebro feminino amadurece mais rápido do que o masculino e, também, termina tendo nenhuma desvantagem mas apenas igualdade com o cérebro masculino, então é bastante óbvio que elas reivindicam que o cérebro feminino é superior que o masculino, porque ele amadurece mais rápido, e é também tão capaz quanto o masculino pelo resto da vida. Então ele seria superior, pois ele tem apenas vantagens, mas não tem as correspondentes desvantagens. Isso me lembra de um verso do maravilhoso poema do Angry Harry’s, If I Only Had a V (Ah, seu eu tivesse uma vagina):

Ah, se eu tivesse uma vagina

Eu a usaria habilmente

Para gerar uma igualdade

Que de certa forma sempre me favorece
Sendo alguém que cresceu em meio ao peso doentio do feminismo dos anos 1970’s, 80’s e 90’s, seria impossível contar quantas vezes eu ouvi sobre a superioridade do cérebro feminino quando se trata de habilidades multi-tarefa. As mulheres zombavam, desde as adolescentes até as velhas orcas nos programas de TV. Nunca foi minimamente aceitável apontar que o raciocínio linear de um homem é o que é capaz de intensa e profunda concentração, precisamente porque ele não consegue trabalhar em multi-tarefa, e é por isso que virtualmente todas as invenções do mundo com mais de duas partes móveis surgiram dos cérebros masculinos, e também porque a maioria dos grandes músicos, artistas, filósofos, etc, são homens. O cérebro multi-tarefas feminino é como na frase “Pau pra toda obra, mas mestre em nada”. Seu cérebro auxilia elas a fazer outras tarefas enquanto cuidam das crianças (a maioria das mulheres viveu a maior parte de suas vidas adultas ou grávidas ou cuidando das crianças, até muito recentemente na história da humanidade). Para toda vantagem existe uma desvantagem. Uma Ferrari é um ótimo carro pra viajar num final de semana, mas quando a segunda feira chega e você precisa carregar cimento, é melhor usar uma pick-up.

 

 



“Pesquisadores descobriram que boa parte das conexões cerebrais de um homem acontecem entre a parte da frente e a parte de trás do mesmo lado do cérebro, enquanto as conexões das mulheres acontecem mais de um lado para o outro dos hemisférios cerebrais.
Essa diferença na forma como as conexões nervosas se forma durante a adolescência, onde muitas das características sexuais secundárias, como barba nos homens e seios nas mulheres, se desenvolvem sob a influência de hormônios sexuais, indica o estudo. Os pesquisadores acreditam que as diferenças físicas entre os dois sexos na forma como o cérebro é constituído poderia ser muito importante no entendimento do porque homens são em geral melhores em tarefas nas quais se testam as habilidades espaciais envolvendo controle muscular, enquanto as mulheres são melhores em tarefas verbais envolvendo memória e intuição.”


A diferença nas ligações sinápticas entre o cérebro masculino e o feminino poderia explicar porque homens tem uma melhor noção espacial

“… Porque as conexões femininas ligam o hemisfério esquerdo, que é associado ao pensamento lógico, com o hemisfério direito, que é ligado à intuição, isso poderia explicar porque mulheres tendem a ser melhores que homens em tarefas intuitivas, ela adicionou”

“Intuição é pensar sem pensar. Mulheres tendem a ser melhores nessas habilidades que são ligadas à incumbência de ser uma boa mãe” disse a professora Verma.

(Note que o cérebro masculino segue de trás pra frente, então não cruza lógica com emoção como as mulheres)

10 comentários em “Mulher: A Adolescente Mais Responsável na Casa?

  1. MEU DEUS ACABEI DE COMENTAR QUE TINHA LIDO O MELHOR ARTIGO. POREM, SEM DUVIDAS ESTE É O MELHOR ARTIGO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    DO MUNDOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO
    VOU LER ELE AMANHA DE NOVO, E DE NOVO, E DE NOVO, ATE ENTRAR ESSES CONCEITOS NA MINHA CABEÇA!

    1. Vinicius, recomendo que leia a versão em inglês que tá linkada no começo do texto. A minha tradução, sinceramente, ficou bem meia boca.

  2. Cara, muito boa a publicação, totalmente politicamente incorreto, mas por onde o pensamento livre pode pensar, ainda mais nos tempos atuais em que tudo que é masculino é massacrado, e a os homens têm dificuldade de enxergar sua energia e aplicação. Mas obstante a isso tudo, também acredito numa sabedoria feminina, não a minha energia masculina, mas digo mulheres também têm sua sapiência e podem amadurecer e chegar a níveis altos de conquistas, racionais mesmo, e acho que grandes mulheres ajudam a grandes homens também. Só estou colocando esse contraponto, para não parecer tão sexista, nem querendo usar o termo como se usa hoje em dia, mas sim para não depreciar todas as mulheres e a vitalidade de suas energias.

    1. Leafartz, com certeza. O artigo tem um tom alarmista justamente para chocar e forçar um novo questionamento.

      Mas nele mesmo há uma ressalva quanto a mulheres que não se encaixam totalmente nessa definição.

  3. Este é o melhor post do site, parabéns Denis!! Tive a curiosidade de buscar no Google textos de blogs de psicologia sobre como os pais devem proceder para impor limites nos filhos adolescentes. Cara, é idêntico a como devemos agir com as mulheres!! Achei impressionante

    1. Se vc perceber bem Claudio, essa forma de agir funciona muito bem com homens também. Na questão dos limites, todos somos muito parecidos com as crianças e até mesmo com os cachorros.

Deixe uma resposta