Skip to main content

O Beta em um relacionamento (ou: como receber muito menos do que você oferece para uma mulher)

No último artigo eu mostrei um pouco do jogo do Beta.

Nele eu expliquei como o Beta às vezes consegue conquistar uma mulher, mesmo que a sua estratégia tenha uma eficácia ridícula quando comparada à estratégia de um Alfa.

Também mostrei um pouco qual é o tipo de mulher que ele conquista e ainda expliquei como o processo de sedução dele o torna feminino e assexuado.

No artigo mostrei, ainda, que o Beta muitas vezes é o preferido na escolha das mulheres para um relacionamento longo e duradouro.

Essa preferência é ainda maior se essa mulher já passou de certa idade e já viveu o máximo da capacidade de sua vontade sexual.

Mas no artigo eu também sugeri que o Beta, mesmo quando é o preferido para um namoro, ainda assim recebe um tratamento muito inferior do que um Alfa receberia.

E isso se explica pela diferença do respeito próprio que cada um exibe. Enquanto o Alfa respeita a si mesmo acima de tudo, o Beta não se respeita por achar que isso fará com que os outros o considerarão “altruísta” e “humilde” e assim gostarão mais dele do que se ele fosse arrogante, por exemplo.

Dias atrás eu assisti novamente ao filme “Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças” que trata muito bem da dinâmica de alguém que não se dá valor em um relacionamento.

Se você não o assistiu, recomendo que assista antes de ler este artigo. Ele vai ajudar muito no seu entendimento do que eu estou prestes a dizer.

Como um homem inferior consegue uma namorada

Garota carente instavel homem bonzinho

Um homem de segunda classe, um Beta, consegue uma namorada da mesma forma que ele consegue uma transa.

Oferecendo valor, oferecendo atenção, oferecendo carinho e oferecendo validação masculina fielmente a apenas uma mulher.

É importante notar que ele já oferece fidelidade mesmo que não haja nenhum relacionamento. Ele se entrega emocionalmente a essa mulher e a coloca num pedestal.

Como já disse, esse é um jogo demorado.

Essa garota em questão passa nas mãos de vários homens superiores, de vários Alfas. Eles não se preocupam com seu bem-estar emocional ou se ela se sente usada.

Ela sabe que o Alfa não está nem aí pra ela, mas mesmo assim ela não consegue resistir à tentação de se entregar pra ele.

Ela se entrega para um, para outro, para vários. Ela consegue a validação sexual deles, mas não consegue a validação emocional.

Em algum momento essa garota se cansa disso. Em algum momento essa garota fica carente de ter alguém que dê validação sexual e validação emocional ao mesmo tempo.

Se ela não conseguir encontrar um Alfa que namore com ela, ela vai buscar um Beta.

Na verdade, muitas vezes essa garota vai preferir namorar o Beta porque ele é uma opção muito mais segura do que namorar um Alfa.

Afinal, o Alfa é desejado por outras mulheres e ela teria de competir com elas.

Além disso, o Beta aceitará ela exatamente do jeito que ela é; se ela engordar, deixar de se arrumar e não oferecer um sexo decente, o Beta não reclamará porque ele não tem outras opções.

Então ela olha para o seu Whatsapp e vê a mensagem daquele cara que nunca fez aflorar seu desejo sexual mas pensa “poxa, ele sempre esteve ao meu lado, me ouvindo, me dando atenção, sendo legal comigo.. vai que dá certo namorar ele

Essa é a essência de um começo de um namoro de um Beta.

A mulher que o aceita como seu namorado não o considerou como a primeira, segunda, terceira.. ou décima opção. O homem inferior só se torna uma opção porque as opções superiores não atendem mais às suas necessidades mais imediatas.

E isso vai se refletir no desejo dessa mulher ao longo de todo relacionamento.

Homem bonzinho oportuno garota carente

No filme,

“Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças”, toda essa dinâmica é demonstrada com primor.

O personagem principal, Joel, é um homem inferior. Ele tem olhar de cachorro triste e não faz nada de sua vida.

Até que Clementine aparece em sua vida e é ela que dá em cima dele, porque ele tem vergonha de fazer o contato inicial.

Depois de flertarem um pouquinho, ela diz exatamente essas palavras “Devo admitir, constrangida, que gosto muito que você seja bonzinho. Tipo agora, eu digo“.

E então ela complementa: “Não sei o que vou gostar de um momento para o outro, mas agora fico feliz que você seja bonzinho”

Traduzindo para o vocabulário masculino, o que ela quis dizer é:

“Estou cansada de ficar com caras confiantes, isso só aflora ainda mais minhas seguranças. Neste exato momento preciso de alguém que me ame mais do que ele ame a si próprio, como um cachorro de estimação. Mas eu sei que isso vai passar e logo não vou te querer mais.”

Continuemos.

Quando a namorada se cansa do homem inferior ao seu lado e passa a desprezá-lo

Mulher despreza homem fraco

O começo de um namoro é sempre um mar de rosas.

O Beta, feliz com a sua conquista, vai fazer de tudo para agradar sua amada.

Ela, em retribuição, vai se mostrar super feliz com todas as demonstrações de afeto do Beta, porque não está acostumada com esse tipo de atitude e ela acha que aquilo faz bem a ela.

O Beta, ao ver que seus gestos românticos são bem recebidos, passa a fazê-los cada vez mais.

Ela acha que finalmente encontrou o cara certo, alguém que a ama acima de tudo, igual nos filmes românticos que ela assiste quando está carente.

Mas com o tempo ela vai perceber que todas essas demonstrações de amor revelam apenas a falta de amor próprio do Beta.

Se ele a ama acima dele próprio, deve ter algo errado com ele.

Afinal, por que é que ele se dedica tanto a mantê-la por perto? Por que ele acha que precisa ase esforçar tanto? Ele se acha tão inferior que acredita que ela não poderia amar ele simplesmente pelo que ele é?

Sim, é emocional. Sim, é totalmente ingrato. Mas é assim que a mente feminina funciona.

A mente de todos os seres humanas é ilógica. Nosso cérebro é guiado por emoções. Se isso não fosse verdade, todos teríamos um abdômen definido e uma carreira de sucesso.

Mas a psique feminina é ainda mais instável.

Com o tempo ela vai se cansar de tanto “romance”.

Ela vai começar a ressentir a falta de respeito próprio do Beta.

Garota irritada por causa de homem fraco

Como uma criança, ela vai começar a testar os limites desse homem inferior. Ela vai testar o quanto masculino o seu namorado é.

Essa mulher, como todas as outras, precisa de polaridade. Ela quer um homem de verdade ao seu lado. Alguém que complemente a sua feminilidade.

O homem inferior vai falhar nesses testes. Ele vai se deixar ser desrespeitado. E ela vai sentir repulsa dele.

O Beta, ao ver que sua mulher está deixando de gostar dele, passa a fazer ainda mais do que a deixou enojada: se demonstra ainda mais inferior a ela e diz que está disposto a fazer de tudo para que o namoro dê certo.

Mas uma mulher precisa de um homem forte ao seu lado.

As mulheres são instáveis. Todo mês elas sofrem com variações hormonais que modificam até mesmo sua personalidade por um certo período.

Enquanto nós homens vivemos em um estado emocional mais ou menos constante, as mulheres vivem diversos estados simplesmente porque seus hormônios confundem totalmente seu modo de pensar.

É uma verdade conhecida há décadas que o estado emocional de uma pessoa segura de si é capaz de influenciar o estado emocional de todos à sua volta.

Quanto mais confiante de si e mais essa pessoa expressar seu estado, mais ela influenciará o outro.

E o que acontece quando um homem inferior percebe que sua mulher está em um estado emocional triste?

Ele vai ficar triste para igualar seu estado emocional ao dela, mostrando uma empatia exacerbada, acreditando que isso fará com que ela sinta mais atração por ele (como expliquei no último artigo).

Mas nesses momentos ela precisa de uma polarização, ela precisa de uma rocha ao seu lado. E não de um banana.

Ela quer alguém em quem ela possa contar quando estiver mal. Alguém forte. Se ela quisesse alguém fraco ao seu lado, ela namoraria com uma mulher.

Se ela não encontrar isso no seu namorado, ela possivelmente vai procurar em outros homens.

Talvez ela não procure. Mas o fato é que ela vai ressentir da sua fraqueza.

E a partir daí o relacionamento vai ladeira abaixo.

O sexo vai diminuir drasticamente de frequência. A garota vai passar a ter uma atitude estúpida e grossa. O Beta, sem saber como honrar suas bolas, vai cair cada vez mais na armadilha.

Até o momento em que ela termina com ele.

Homem bonzinho so se ferra

No filme,

Isso é demonstrado explicitamente. A Clementine ressente a natureza fraca do Joel, o beta.

Ela se cansa de ter um homem inferior ao lado dela. Isso acontece porque é imperativo de sua natureza biológica a necessidade de estar ao lado de um homem forte.

Quando a magia do começo do namoro se esvanece e ela finalmente percebe que ele é fraco, ela passa a se irritar, a se ressentir, a se tornar amarga.

Ela despreza e desrespeita o Beta.

Exatamente como acontece na vida real.

Até chegar o momento que ela termina com ele.

Garota procurando por sua paz de espirito

É exatamente isso que ela quer dizer com a frase acima.

“Eu sou só uma garota ferrada procurando pela minha paz de espírito”, no vocabulário masculino significa:

“Eu sou totalmente instável e não sei lidar com o carrossel de emoções que é a minha vida. Preciso de um homem de verdade ao meu lado que me dê a paz de espírito que eu tanto busco”

Continuemos.

E quando um namoro com um Beta se torna um casamento e eles vivem felizes para sempre?

Mulher carente casamento homem

Pra começar, gostaria que você me mostrasse um único casamento em que o homem estivesse realmente feliz. A maioria dos casamentos das últimas gerações (dos anos 90 pra cá) são infelizes em essência.

Estatisticamente existe uma probabilidade muito maior de um casamento terminar em divórcio do que se manter pelo resto da vida.

E não é porque duas pessoas continuam casadas que elas se amam. Isso está longe da verdade.

O que acontece na maioria dos casos é que tanto o homem quanto a mulher que permanecem num relacionamento ruim por um longo tempo são pessoas acomodadas (nota: a grande maioria das pessoas são acomodadas).

Essas pessoas aceitam um relacionamento de merda porque sabem que não vão conseguir alguém decente para ficar ao seu lado.

E elas sabem disso porque elas têm plena consciência da sua falta de força de vontade de se tornarem pessoas melhores.

Pessoas acomodadas ficam com pessoas acomodadas; pessoas motivadas, confiantes e seguras ficam com pessoas motivadas, confiantes e seguras. 

No fim, é fato que poucas pessoas desse mundo são, de fato, felizes.

As pessoas são preguiçosas.

E é por isso que elas ficam ao lado de pessoas inferiores.

Porque elas têm preguiça de se tornarem pessoas atraentes o suficiente para encontrar alguém melhor.

De qualquer forma, um homem inferior que se mantenha pra sempre em um relacionamento de baixa qualidade também inferior é um homem infeliz.

E quanto a isso não há discussão.

Conclusão

Homem inferior bebe chorao cachorro sem dono

A dinâmica de um namoro de um Beta é, em resumo, essa:

  • a garota fica carente e cansada de ser usada por Alfas;
  • ela fica com o Beta porque ele é uma opção segura;
  • ele se torna um cachorrinho romântico, completamente dominado;
  • ela passa a ressentir a sua falta de amor próprio e se torna uma vaca;
  • ela termina o namoro ou apenas continua com ele porque sabe que não vai encontrar coisa melhor.

O cinema, a literatura e a música mostram muito sobre como funciona o mundo, se você souber enxergar o mundo com os olhos de um homem de verdade.

Existem diversas garotas que amam esse filme e se identificam totalmente com ele. Mas muitas delas não sabem explicar exatamente o porquê.

Poucas têm o auto-conhecimento suficiente para perceber que na verdade elas se identificam com a estratégia sexual dual do Alfa Fode, Beta Banca que guia as atitudes da Clementine, ou que elas são programadas biologicamente por algo chamado Hipergamia feminina.

Muitas mulheres adoram o filme porque elas se identificam com a Clementine.

Eu adoro esse filme porque ele mostra perfeitamente a psicologia feminina de uma mulher que tem total consciência de suas decisões.

Ela sabe que ela é “uma garota ferrada” e que os seus sentimentos são instáveis. Ela sabe que ela é governada pelas suas emoções e que ela não tem como fugir delas.

Ela sabe que ela é uma escrava de suas emoções e que não consegue fugir disso.

Muitas mulheres adoram esse filme porque elas são a Clementine.

Eu adoro esse filme por mostrar perfeitamente como um Beta se comporta em um relacionamento e como este é fadado ao fracasso mesmo antes de começar.

Por isso recomendo muito que você o assista e tente entendê-lo nas entrelinhas.

Isso vai te ajudar a entender qual é o destino de alguém que não se respeita e que oferece muito mais em um relacionamento do que ele recebe em troca.

 

 

MOSTRE ESTE ARTIGO AOS SEUS AMIGOS:
  • Adriano

    É impressionante como você consegue me fazer enxergar o mundo de outra forma. Esse é um dos meus filmes favoritos e eu já assisti ele pelo menos umas cinco vezes, mas eu nunca tinha visto ele dessa forma.

    Uma coisa que eu acabei notando ao longo do texto é que pensando na linha do tempo de forma linear, ela se apaixona pelo Joel (pela segunda vez) enquanto está saindo com o personagem do Elijah Wood (esqueci o nome dele), que é claramente um Ômega (ou um Beta inferior, como você gosta de nomear).

    A Clementine não se importa em nada em criar uma ligação emocional com outro homem mesmo estando em uma relacionamento. Essa traição emocional acontece porque ela não respeita o sentimento do Ômega.

    Tenho que rever o filme com o seu texto em mente.

    Muito obrigado.

    • Denis Carvalho (admin)

      Muito obrigado pelo comentário, Adriano! Não tinha reparado nessa nuance do roteiro. Continue comentando sempre!

  • bom texto

  • Augusto

    Mais um texto excelente sem dúvida o melhor site que temos quando queremos aprender mais e mais a ser um homem. Além disso e ótimo perceber em cada texto atitudes que muitas vezes nem percebemos mas que infelizmente fazemos.

    • Denis Carvalho (admin)

      Valeu Augusto.

  • vinicius

    DEMAIS! seus artigos me ajudam mto!! obrigado mesmo
    de que cidade vc é?
    abraços
    Vinicius – Curitiba PR

    • Denis Carvalho (admin)

      Fico feliz, Vinicius. Eu moro em São Paulo, capital.

  • Souza

    Leio o blog com frequência e sinto-me na obrigação de lhe dar um feedback. Alguns posts recentes, esse mais exacerbadamente, estão muito prolixos. Sei que seu objetivo é tentar chacoalhar a Betaiada e fazê-los acordar mas parece que todo assunto que trata sobre relacionamento fala sempre a mesmíssima coisa.
    Um grande abraço. Continue com o bom trabalho!

    • Denis Carvalho (admin)

      Souza, onde exatamente você acha que eu tô falando a mesma coisa?

      No grosso, sim, tudo é base de uma mesma teoria, e obviamente uma ou outra coisa ficam muito parecidas, mas é como você disse: preciso chacoalhar, preciso desprogramar toda a programação Beta que foi inserida por lavagem cerebral na mentalidade dos homens. E só a repetição, o exemplo e a metáfora conseguem modificar isso.

  • Cássio

    Hoje vi um cena no mercado
    Até comentei com meu amigo
    O cara no mercado a namora dele
    “Para de me enxe o saco,to passando mal”
    e o cara Pianinho ela só resmungando
    Quase falei pra ele,quando ele saiu de perto (Filho faça algo)HAHAHAH e tive uma outra situação

    Cara Trombou em mim e derrubou bebidas em 2 Meninas
    Falei Pedi desculpas, faleii “foi ao acaso”
    Ela “foi culpa sua”
    Eu “que culpa? do cara ali ter a mao frouxa e derruba bebida em vocês”
    falei “olha as minhas bebidas na minha mao,as minha tao aqui”
    Ainda zooei o cara
    Mas veio com aquele papo de joga a culpa em mim,aquela situação quase exata do seu Artigo
    Engraçado acontece as coisas no dia-a-dia

    • vinicius

      Ahahahaha se eu fosse tu faria diferente.
      Diria: meus amores, se a culpa foi sua ou minha ou do cara pouco importa… o que estou pensativo e querendo descobrir é o número do seu telefone!
      Nesse momento eu tiraria o cel do bolso, mandava aquela piscada sarcástica e falaria: 99 que mais? …?
      Abrasss
      Autor do blog, quais as chances disso dar certo? Abraçossssss teu blog é top

      • Denis Carvalho (admin)

        Não entendi muito bem a situação, mas duvido que isso daria certo. Se a mina tá puta, não há nem motivo pra conversar: é virar as costas e ir embora. Não sou eu que vou oferecer drama.

        • Cássio

          Negocio entao é pedir desculpas ,se ela começa a reclamar virar as costas entendo,não dar um pingo de atenção ,beleza anotado! Abraços

          • Denis Carvalho (admin)

            Sim, eu faria isso. Se uma mulher está completamente emotiva, ainda mais uma que você não conhece, não há motivos para engajar em seu drama. Vire as costas e vá embora, não deixe ela crescer pra cima de você e nem deixe que a situação escale para algo que pode ficar fora do controle.

  • Isso lembra muito um relacionamento que tive:

    Iniciei como um alfa e me acomodei agindo como um beta, de forma semelhante ao texto que vc publicou “Um pequeno teste que quase todos os homens falham” .

    E no decorrer do relacionamento esse seu último texto caiu perfeitamente. Tive que encerrar o relacionamento porque este fugiu totalmente ao meu controle.

    Bem organizado e bem fundamentado o texto !

    • Denis Carvalho (admin)

      Exatamente Danilo, ia linkar para esse artigo mesmo.

      No decorrer do relacionamento a gente relaxa, porque é da natureza do ser humano sentir preguiça e querer se acomodar. Mas esse é um caminho para um homem inferior; o homem superior nunca se acomoda.

  • Everson

    Vcs já assistiram o filme ” o último americano virgem”? A história se enquadra bem nesse artigo, e no final, dá vontade de vomitar com a última cena.

    • Denis Carvalho (admin)

      Ainda não vi, mas assistirei Everson. Valeu pela indicação.

  • José Irulve

    Ótimo artigo. É um tanto desconfortável ler o texto e perceber que um namoro hoje em dia se resume apenas a uma disputa de cabo de guerra, e não mais uma relação de companheirismo. É o triste retrato deste mundo pós-moderno.

    • Denis Carvalho (admin)

      José, duvido muito que em qualquer momento da história da humanidade tenha sido muito diferente. É claro que a cultura tem muita influência, mas encontrar uma mulher companheira sempre foi muito difícil.

  • Alisson Fabiano

    h3uh3uh3, olha isso:
    https://www.facebook.com/mocavoceevitimista2/photos/a.1436657886587302.1073741828.1430920963827661/1685605341692554/?type=3

    h3uh3uh3u3, eu já sabia disso, mas não sabia que elas escancaravam
    eu achava que era inconsciente
    inconsciente o krl h3u3hu3

    eu realmente fiquei suspreso com a cara de pau absurda dessas minas

    • Denis Carvalho (admin)

      Você não imagina então o que é que elas falam quando estão entre amigas, ou quando acham que não vão ser julgadas.