Skip to main content

O que é e como age o homem Beta

Na semana passada falei em linhas gerais algumas das diferenças entre o Alfa e o Beta e expliquei melhor o funcionamento da dinâmica das atitudes de um Alfa.

Se você ainda não leu o artigo anterior, clique aqui e leia agora.

 

Antes, gostaria só de frisar mais uma vez algo muito importante sobre a estratégia de cada um dos dois: ser Alfa ou ser Beta é simplesmente uma questão de atitude. Ninguém é destinado a ser Alfa e nem destinado a ser Beta, são suas atitudes que os definem assim. Portanto, essa terminologia não tem nada de místico ou qualquer outra besteira do tipo; ela é puramente pragmática.

 

Dito isto, vamos pro Beta.

 

O Beta apresenta uma estratégia sexual quase que oposta à do Alfa. A principal diferença entre os dois é que o Beta vive em busca validação externa para os seus atos. O que ele sente, pensa ou quer, só é validado quando isso é correspondido de forma positiva por quem for o receptor dessas ações. Um exemplo de fácil reconhecimento é quando um Beta muda sua opinião num piscar de olhos quando confrontado por uma opinião adversa. Este exemplo normalmente é mais pronunciado em uma situação em que a opinião contrária vem de uma mulher que ele sente atração, e ainda mais quando existe algum olhar julgador (ou de ‘envergonhamento’) tão típico do sexo feminino.

 

Acredito que essa busca incessante por validação externa seja a base de todo o seu frouxo comportamento perante os outros. A partir do momento em que nada do que diz tem o peso do vigor de suas convicções ele fica refém do que qualquer um projeta nele.

Assim, ele nunca assume um papel. Suas opiniões são voláteis como são seus círculos sociais.

 

Em um círculo social ele tem a opinião X, em outro círculo ele tem a opinião Y, em outro a opinião Z. Todos percebem que ele não é um homem de palavra e que sua ansiedade por agradar a todos torna-o uma pessoa em quem não se pode confiar.

 

Não expressar suas opiniões sem medo e ua vontade de agradar o tempo todo são as características básicas de um dos comportamentos mais brochantes para uma mulher. Nenhuma mulher quer ficar com um homem que tem medo de expressar sua opinião, pois se ele não é homem nem de manter o que diz,como é que ele dará proteção para ela e para sua potencial cria?

Em um nível inconsciente é assim que elas pensam em milésimos de segundo. Ainda temos um cérebro que parou de evoluir via seleção natural há algumas dezenas de milhares de anos. Se o homem não for capaz de proteger a sua parceira e sua cria ele não é apto para colocar seu DNA dentro dela. Esse mecanismo ‘antiquado’ é um dos quais fez com que a humanidade sobrevivesse até hoje, pois selecionou os homens mais fortes.

 

É claro que hoje não existem mais os perigos dessa época antiga, por isso as mulheres acabam tendo de se agarrar a outros mecanismos para descobrir se seu parceiro é um homem forte ou não. Traços de personalidades fracos nada mais são do que reflexos de uma pessoa fraca.

 

Quando uma pessoa tem essa frouxidão de personalidade, ela aceita ser desrespeitada. Esta é outra característica que dizima a atração de qualquer mulher por um homem. Ser desrespeitado não passa de uma questão de não manter o papel de homem. Que pessoa desrespeita outra sabendo que vai haver uma retaliação pelo desrespeito? Ou um idiota ou alguém que esteja em um nível muito superior ao desrespeitado (pense em um policial dando um tapa na cara de um adolescente durante uma abordagem; ou em um homem de 2 metros de altura e 120kg de músculos que resolveu tirar com a cara de alguém muito menor; ou um chefe que sabe de seu poder hierárquico contra um empregado).

 

E é por isso que uma mulher sente nojo de um homem do qual ela pode desrespeitar. Ela pensa, em nível inconsciente “se eu, uma mulher de um metro e meio e nem cinquenta quilos, sou capaz de desrepeitar ele sem consequências, contra qual outra pessoa no mundo ele seria capaz de firmar seu pé?”. Ela está “abaixo” dele na questão física mas muito acima dele na questão psicológica.

Lidar com uma situação de desrespeito é fácil e necessita de poucas palavras “você está me desrespeitando e isso é inaceitável”. Dizer isso com uma voz de quem comandaria uma tropa é o necessário para fazer parar qualquer tipo de petulância feminina. Como dito no outro artigo, um homem nunca perde sua serenidade e nunca reage de forma violenta.

 

A estratégia sexual do Beta é completamente ineficiente. Em geral o Beta tenta chegar “ao coração” de uma mulher através de suas atitudes bondosas que demonstram uma preocupação exagerada com o bem estar dela.

 

O Beta tenta se colocar como “diferente dos outros” que só querem comer ela. Ele ouve suas histórias, seus dramas e suas amarguras e nunca demonstra um interesse sexual porque acham que assim vai se destacar da multidão. Ele adora dizer que “os homens são todos iguais” mas ele é igual a todos os outros. O resultado que ele quer de suas atitudes é única e exclusivamente comer a buceta dela (de forma sentimental), mas ele tem medo de tentar uma atitude assertiva de dar em cima e arriscar uma rejeição, por isso ele come pelas beiradas.

 

O resultado de sua abordagem é invariavalmente o mesmo: ele vira o “amigo gay” ou a “amiga homem” da garota que ele gosta. Quando um homem não é assertivo sexualmente, ele deixa de ser visto como um homem e torna-se um assexuado. Pergunte pra qualquer mulher o que ela acharia de transar com um “amigo gay” dela e a resposta é sempre a mesma “ewww eu não penso nele desse jeito! nós somos apenas amigos”.

 

O Beta acredita que toda mulher é diferente e única. Ele simplesmente aceitou a ideia que toda mulher, não importa o quão podre ela seja por dentro, é maravilhosa. O Beta não aceita a realidade de que a mulher que ele gosta (e o Beta sempre é apaixonado por uma mulher) é uma mulher como qualquer outra e que, como todas, ela adora uma rola. Ela adora ser fodida com força por um macho Alfa, um homem forte, assertivo e confiante.

Enquanto o Beta ouve atentamente às besteiras dramáticas da garota que remontam uma idade mental de seus 15 anos (porque o Beta permite isso), o Alfa faz ela pular em seu pau e faz ela pedir que ele goze em sua cara.

 

Essa é uma características das mulheres em geral. Elas são “multifacetadas”: elas assumem um papel de acordo com quem ela se relaciona e com o ambiente em que está. Se ela está sozinha com um Alfa, na cama, ela será mais do que uma puta pode ser. Se ela estiver sozinha com o Beta, ela regressará de idade e confidenciará suas expectativas infantis de encontrar um príncipe encantado e viver um conto de fadas enquanto o Beta pensa “eu sou o príncipe encantado, eu!” mas não faz nada.

 

Isso não tem nada a ver com hipocrisia. As mulheres, em geral, não tem uma pretensão pré-definida de como agir com os homens. Elas esperam o homem mostrar pra que veio para só então reagir de acordo (em breve um artigo só sobre isso).

 

É por isso que a estratégia do Beta não funciona. Porque ele se mostra como alguém que estará sempre ao lado da mulher, não importa o que ela faça. Ele é a “apólice de seguro” da garota. Quando ela estiver no final dos seus 30 anos e estiver cansada de passar de mão em mão (ou de Alfa em Alfa), ela finalmente vai se contentar em namorar o Beta. Depois de anos e anos de esforço, de anos e anos de dedicação, o Beta finalmente vai ter a sua recompensa.

Este é um ciclo que se repete infinitas vezes pela história.

 

E mais uma vez, o post foi muito mais longo do que esperava e não cobri nem metade do que queria. Mas tudo bem, utilizemos este texto como um esboço do que é o Beta.

 

No próximo artigo (mais curto, espero) mostrarei as diferenças práticas de como um Beta e um Alfa lidam com as mulheres, com as situações cotidianas, com os problemas de relacionamento e como suas distintas estratégias sexuais resultam em decepção ou em sucessos.

8 comentários em “O que é e como age o homem Beta

  1. Velho, estou gostando muito dos artigos desse site, me faz pensar muito e sobre várias coisas. Seus textos me fazem ter uma reflexão diferente e produtiva. Por favor cara, não pare elaborar artigos para postar aqui, apesar da internet ser gigante, esta em falta um conteúdo bom assim, ou esta muito difícil de achar.

    1. Olá Paulo, fico realmente muito feliz em ajudar. Esse é o meu objetivo com o site. Pode ficar tranquilo que eu vou continuar escrevendo enquanto eu tiver duas mãos e um cérebro.
      Muito do que escrevo aqui é baseado na minha experiência de vida e na leitura de autores consagrados. Se você conseguir ler em inglês, recomendo que leia o livro “No More Mr. Nice Guy” do Dr. Robert Glover (fácil de achar em pdf no google). Li ele no fim da minha adolescência e início da minha vida adulta e foi um dos livros que mais me influenciou até hoje.

  2. Ola Denis(admin), estou gostando muito dos artigos, esta me ajudando muito, eu sou muito bom em ingles não dificuldade nenhuma em ler e escrever, poderia me recomendar livros, biografias de grandes homens, pois li o artigo que falta exemplo de grandes homens, é algo que ja tinha percebido mas não parei para refletir sobre o assunto. Obrigado pela atençao.

    1. Danilo, leia a biografia do Schwarzenegger e o livro do Marco Aurelio, Meditações. Ambos são ótimos livros. Neste link tenho mais sugestões de leituras.

  3. Parabéns!
    A maioria das coisas escritas na internet é um manginismo dominado pela doença do exagerado “politicamente correto” que está em moda. Você escreve coisas bem realistas. São muito interessantes e úteis a todos. Continue compartilhando as suas experiências de vida.
    Um abraço.

Deixe uma resposta