2 formas socialmente aceitas de convidar uma mulher para fazer sexo com você

2 formas socialmente aceitas de convidar uma mulher para fazer sexo com você

Vou contar uma história em que  eu falhei. Uma história em que eu falhei miseravelmente.

Certa vez eu estava com uma garota numa festa, beijando ela. A gente estava sentado em um banco num lugar distante de todo o movimento.

Eu passo a mão na barriga dela e a elogio, dizendo que ela é sexy.

Ela, como toda mulher, diz que está gorda. Eu, como todo homem, digo que ela é muito gostosa. Ela ri e dá um tapinha no meu ombro.

Então eu pego na bunda dela e falo olhando nos seus olhos “a sua bunda também é muito gostosa” e dou um sorriso. Ela dá outra risada, como se fosse uma adolescente que acabou de ser elogiada pelo cara mais bonito da escola.

A partir daí era só uma questão de tempo até levá-la pra cama. Eu só precisava relaxar, passar um pouco mais a mão no seu corpo, brincar com ela e chama-lá pra tomar uma cerveja na minha casa.

Mas, por algum motivo, em um momento de pura inocência, eu falo pra ela “eu quero transar com você”. Puta. Que. Pariu. Essas foram minhas exatas palavras. Até agora, escrevendo este texto, eu me envergonho de lembrar que eu fui capaz de falar isso.

A reação dela mudou na hora. Ela fez uma expressão de desgosto misturada com nojo, fingiu que não ouviu e a partir daí a energia da interação foi por água abaixo.

Ela começou a repelir todos os meus avanços e arranjou uma desculpa para ir atrás dos amigos dela.

Terminei a minha noite na punheta assistindo algum pornô nojento.

Onde foi que eu errei?

Onde foi que eu errei?

O que eu falei não era socialmente aceito. Pelo menos não naquela situação e naquele contexto. O que eu disse não era passível de uma negação plausível.

A gente ainda não tinha se pegado direito; ela não tinha nem encostado no meu pau e o que fizemos mal podia ser chamado de preliminar.

Quando eu disse aquela frase eu demonstrei pra ela que possivelmente eu estava desesperado por sexo ou até mesmo que eu era um tarado. Mas por quê?

Porque na cabeça dela não fazia sentido que eu estivesse tão excitado só por pegar na bunda dela, pois naquele momento provavelmente ela não estava excitada a ponto de querer dar pra mim.

Agora vamos colocar uma outra situação. Digamos que a gente já tivesse se pegando há mais tempo e eu já estivesse com o meu pau pra fora e ela estivesse passando a mão nele.

Nesta situação e neste contexto eu poderia muito bem dizer “vamos pra minha casa, eu quero te comer agora”.

Isso seria válido para essa situação porque, de fato, eu deveria estar muito excitado e só uma punheta não iria me satisfazer. A gente estaria em um nível bem à frente daquele inicial.

Meu pau estaria duro por ela, e ela encostando nele só estaria aumentando a minha excitação e a minha vontade por ela.

Agora, um apertãozinho bobo de bunda não era pra me deixar naquele estado.

A excitação da uma mulher é gradual. Ela tem que ser seduzida por camadas. A buceta dela se molha aos poucos, principalmente a buceta de uma mulher que você ainda não comeu.

E é óbvio que a minha vergonhosa escolha de palavras também foi terrível. “Eu quero transar com você” é o que algum personagem da Malhação falaria para sua primeira namoradinha. Não é o que um homem adulto deve falar para uma mulher.

Se fosse pra ser direto e arriscar tudo de forma direta assim, eu deveria ao menos ter falado “Eu quero te comer”. Seria bem mais másculo e teria uma chance de sucesso um pouco maior.

Mas mesmo que eu escolhesse bem as palavras, ainda não era momento de falar isso. E, ainda mais, não era socialmente aceito que eu dissesse aquelas palavras naquele momento.

Por que nós homens devemos prestar atenção no que é socialmente aceito?

Quando algo não é socialmente aceito

Veja bem, algumas mulheres têm uma maior tolerância do que outras. Certas mulheres fingiriam que nada de errado aconteceu e iriam pra minha casa de qualquer jeito.

Outras não teriam nem se preocupado com isso, só achariam idiota as palavras que usei mas terminariam a noite na minha cama.

Porém a maioria das mulheres bonitas não tem essa tolerância.

Mesmo que a conversa aconteça apenas entre os dois e ninguém mais esteja ouvindo, as mulheres estão sempre preocupadas com que os outros vão pensar delas.

Convidar uma mulher diretamente para o sexo pode causar a impressão de que ela é fácil.

Além disso, as mulheres prezam por algo que se chama “deixar acontecer”.

Quantas vezes você já não ouviu de alguma garota “Aí eu fiquei com ele e a gente foi pra casa dele.. ah, nem tava planejando nada! Simplesmente aconteceu hihihi”.

Se você convidar uma mulher diretamente para fazer sexo, isso quer dizer que o sexo não “simplesmente aconteceu” e sim que o sexo foi planejado.

Se ela aceitar fazer sexo com você depois que você fizer esse convite, quer dizer que os dois concordaram verbalmente em fazer uma coisa que deveria ser natural e implícita.

Ser explícito quanto as suas intenções tira todo o encanto e até mesmo o mistério de suas atitudes.

É por esse motivo que você deve se preocupar com o que é socialmente aceito, porque isso é importantíssimo para as mulheres; e, por consequência, também é importantíssimo para que você atinja os seus objetivos com ela.

Então, daí surgem as duas formas mais socialmente aceitas de se convidar uma mulher para o sexo.

#1 Chamá-la para beber

#1 Chamá-la pra beber

“Ei, tá a fim de uma cerveja? Bora tomar uma!”

Essa proposição, entre os caras que mais comem mulheres, é o convite mais utilizado na história da humanidade.

Ele é simples, direto, clichê e TODA mulher no universo sabe que esse é um convite para um sexo futuro.

Essa é uma forma universal, educada e socialmente aceita de convite para o sexo.

Se você só quer comer a garota, essa forma de convite é infinitamente melhor do que a de chamá-la para um jantar. Ao convidar ela para um jantar, ela vai começar a olhar para você como um potencial namorado e irá postergar o sexo para que você não pense que ela é fácil (pois ela sabe que se mostrar difícil quanto ao sexo aumentam as chances de você vê-la como potencial namorada).

Já com o convite de beber na sua casa, até mesmo uma minoria de garotas apreensivas de que você só quer deixá-las bêbadas vão ironicamente deixar que você faça isso – se elas estiverem a fim de transar com você.

Muitos caras tem receio de fazer esse tipo de convite porque ele é muito clichê e repetitivo. De fato, chamar pra beber é um convite clichê. Mas tudo nessa vida é repetição. Você não vai ser o primeiro que ela foi pra cama que a convidou para tomar umas e nem vai ser o último.

Homens que querem fugir muito do padrão para parecerem criativos e diferentes apenas demonstram insegurança e inaptidão social.

Toda garota emocionalmente saudável já passou diversas vezes por essa situação e sabe que é assim que funciona. Não se preocupe em tentar ser uma grande novidade na vida dela.

Uma garota que está a fim de transar não vai rejeitar um convite educado de tomar uma cerveja, se ela gostar de você.

Esse também é um motivo pelo qual eu deixo sempre duas garrafas de alguma cerveja importada na minha geladeira. Porque aí eu posso dar uma desculpa idiota do tipo “A cerveja aqui tá muito cara, eu tenho umas cervejas gostosas na geladeira lá em casa! Bora?”.

Em 9 de cada 10 vezes a gente acaba nem tomando essa cerveja e eu posso usá-la como isca para uma próxima garota.

#2 Chamá-la para ver um filme ou fazer algo na sua casa

Ver um Netflix e relaxar

Se chamar uma garota para tomar umas em casa é o convite mais usado em bares e festas, chamar para assistir um filme é o mais usado fora desses ambientes.

Como no convite anterior, as garotas entendem “assistir um filme” como um convite para fazer sexo (ou ao menos dar algum tipo de pegada mais forte).

Essa desculpa de assistir a um filme na sua casa é algo socialmente aceitável para a garota em qualquer momento de quase todo tipo de interação social em que vocês estejam juntos.

Mesmo se você estiver num bar com a garota, você ainda pode usar a desculpa de assistir um filme na sua casa.

Toda mulher, sem excessão, entende o que esse convite significa.

Só um rápido comentário: que fique claro que é assistir um filme ou fazer algo na sua casa. E não ir assistir a um filme no cinema. Este último significa um encontro.

Além de chamá-la para ver um filme, você ainda tem toda uma outra gama de convites socialmente aceitos para fazer na sua casa:

“Vamos fazer uma comida e tomar uma cerveja”

“Vamos relaxar no sofá” (sim, funciona)

“Vamos ver aquela série no Netflix”

“Vamos fumar um lá em casa”

“Vamos fazer aquela coisa que nós dois gostamos de fazer (tocar um instrumento, ouvir algum certo tipo de música, etc)”

Você realmente não precisa de nada além disso.

 

Concluindo

 

Você deve utilizar esses dois tipos de convites socialmente aceitos apenas com mulheres que você ainda não comeu.

Você não precisa fazer esse convite pra uma namorada ou pra uma garota que você já comeu outras vezes.

Nesses casos um simples “vamos pra minha/sua casa” ou “vamos pro motel X” são o suficiente.

Outra situação em que você não precisa se preocupar em ser socialmente aceito é quando a pegada tá tão intensa que ela já até se tornou uma preliminar.

Se ela já te masturbou ou já te chupou ou se você já masturbou ou chupou ela, não há necessidade alguma em chamá-la para “ver um filme” na sua casa. Na verdade seria até idiota fazer isso.

Numa situação que você já tá com o dedo dentro da buceta dela, masturbando ela, chamar para tomar um drink seria contraprodutivo. O melhor seria dizer algo como “que buceta gostosa.. mas eu quero o meu pau dentro de você, e não meu dedo”.

Ser tão direto assim, NESTA SITUAÇÃO, está correto e provavelmente vai deixar a garota ainda mais excitada.

Agora, falar que quer o seu pau dentro da garota depois de apenas ter apertado a bunda dela, como eu fiz no exemplo do começo do texto, é um erro.

Uma última dica:

Se te faltam oportunidades para conseguir chamar mulheres para “ver um filme” na sua casa, recomendo que você veja agora este vídeo sobre o Química do Texto porque ele vai mudar sua vida amorosa e sexual.

 

COMPARTILHE ESTE ARTIGO COM SEUS AMIGOS: