Como a generalização pode salvar a sua sanidade mental

  • Generalizações Mc Carol

Como a generalização pode salvar a sua sanidade mental

O nosso cérebro é incapaz de racionalizar todas as nuances específicas de cada interação social que vivenciamos.

Ele também é incapaz de formar opiniões individualizadas e muito menos precisas das personalidades dos outros, principalmente à primeira vista.

É por isso que o nosso cérebro generaliza tanto.

Felizmente, pois do contrário teríamos de lidar com tantas informações simultâneas que sofreríamos de “paralisia por análise”, que é o efeito que se dá quando estamos sobrecarregados mentalmente e nos tornamos incapazes de agir.

A generalização serve a um propósito muito específico que é o de nos manter sãos.

Generalize comigo:

Gordo feio nerd generalizações

O que você vê aqui?

Além do óbvio (gordo, feio, espinhento) eu vejo um nerd que provavelmente passa os seus dias jogando LoL e que vive na casa dos pais, mesmo com 30 anos de idade. Ele não faz sexo frequentemente, não se alimenta de forma decente e não tem nenhum outro assunto que não seja sua vida online.

Se utilizar somente essa foto, pela expressão facial dele ele passa a impressão de ser bastante arrogante e chato de conversar.

Ele pode ter alguns conhecimentos ocultos interessantes, mas para isso teria que lidar com sua personalidade chata. Não compensaria o esforço.

Se ele participasse da minha rotina (colega de trabalho ou de classe) eu possivelmente conversaria de vez em quando com ele, mas não me esforçaria para ter algo além de uma relação superficial.

Leo Stronda_opt

O que você vê aqui?

Além do óbvio, eu vejo um cara que vive para o seu corpo. Provavelmente ele não foge nunca da dieta e nunca comeria um dog na esquina porque iria estourar o limite de carboidratos do dia.

A maior parte da sua identidade está atrelada ao tamanho dos seus músculos e provavelmente esse é o assunto de quase toda sua conversa.

É admirável sua força de vontade, porque se ele chegou a esse tamanho ele com certeza recusou centenas de milhares de prazeres de curto prazo para atingir o seu objetivo.

Apesar de ver algumas qualidades nele, eu provavelmente não teria muito assunto com um cara assim baseado apenas nessa foto. Eu poderia aprender algumas coisas com ele, entretanto, e até descobrir que ele seria alguém divertido pra conversar e fazer algum rolê.

Feminista ofendida feia chata

O que você vê aqui?

Além do óbvio (como na piada “quero parecer que me sinto ofendida por qualquer coisa”), eu vejo uma pessoa que odeia a tudo e a todos. Mas principalmente uma pessoa que odeia a si mesma.

Ela se esforçou drasticamente para parecer completamente diferente de todo mundo que existe no mundo (de uma forma ruim) e isso reflete sua personalidade de quem acredita que é, de fato, única.

Ela deve criticar tudo e se achar a juíza de comportamentos alheios. Ela provavelmente se acha merecedora de vários direitos mas nunca de deveres.

Existe uma enorme probabilidade de que ela nunca teve um pai presente ou de que ela foi criada apenas pela mãe.

Eu não teria vontade alguma de tê-la como amiga ou muito menos de ficar com uma mulher dessas (mesmo descontando o fato de ela ser terrivelmente feia).

Estou errado em alguma dessas minhas hipóteses?

Camiseta feminista

Existe uma pequena chance que eu esteja errado. Mas tenho certeza que estou certo na maioria delas.

A generalização que criei dessas pessoas me ajuda a facilitar o meu entendimento de mundo de forma rápida.

Se eu estiver numa rua e encontrar com um cara mal-encarado e com as roupas sujas, seria burro de não considerar ele como uma possível ameaça e me preparar para uma possível reação.

Se eu encontrar com uma garota que usa a camiseta acima, seria burro de não perceber que a sua mentalidade de vítima é tão grande que ela tem que mostrar para todo mundo que ela se acha perseguida apenas por ter nascido mulher. Também seria leviano considerar que elá é uma pessoa divertida para conversar ou sair junto.

Se alguém vai começar a namorar uma pessoa que já traiu todos os ex-namorados(as) no passado, não é errado acreditar que isso vai acontecer de novo (observar comportamento passado é a melhor forma de prever comportamento futuro).

Se alguém vê na Mc Carol uma pessoa a ser admirada, fugir de perto dela talvez seja a melhor atitude a se tomar. Para quem não conhece, Mc Carol é a mulher da foto que ilustra este artigo e é ela quem canta esta música.

Eu escolhi esses três exemplos negativos por um motivo

Peguei a foto de um gordo nerd, de um marombeiro e de uma feminista por um motivo. Para mostrar que mesmo na minha generalização negativa eu ainda encontrei alguns pontos positivos em cada um deles.

Menos na feminista, porque essa mulher deve ser chata pra caralho.

A generalização deve ter esse propósito: criar uma imagem pré-concebida, mas manter-se aberta a novas descobertas.

Mas nem todo mundo é desse jeito

Nem todo mundo é assim_opt

Um dos argumentos contra a generalização é o de que “nem todo mundo é desse jeito, tem que considerar a individualidade de cada um”.

E isso é óbvio.

Nós generalizamos para termos uma visão geral de uma coisa. Conforme vamos obtendo novas informações sobre ela, melhor podemos detalhar essa coisa, dando uma individualidade a ela.

Porém, a generalização, quando feita com boa experiência de vida, usualmente está correta em sua maior parte.

Dificilmente nos surpreendemos com alguém pensando “nossa, essa pessoa parecia ser X coisa mas é totalmente diferente!”

Na verdade, o argumento de que “existem exceções” só prova que a regra existe.

“Nem todas as mulheres se interessam pelas posses de um cara, eu mesmo prefiro muito mais o caráter!”.

Isso nada mais prova que a maioria das mulheres se interessam pelas posses, do contrário esse argumento nem existiria pra começo de conversa.

Além do mais, essa é uma forma óbvia de proteção de ego.

“Não são todos os homens que só querem comer todas as mulheres e sair fora!”

Isso também só reforça ainda mais a verdade óbvia que a gente quer comer o máximo de mulheres gostosas possíveis.

Um floco de neve único e especial

Você é unico como todos os outros

Todo floco de neve é diferente um do outro. Não existem dois flocos de neve iguais no mundo.

A íris do nosso olho funciona da mesma forma. Não existem duas íris iguais no mundo, quando vistas sob um microscópio.

Alguém juntou essas duas informações e começou a dizer que, por consequência de não haver um olho igual ao outro, cada um dos seres humanos também é diferente de todos os outros existentes.

Então começaram a acreditar que cada um dos seres humanos é um floco de neve único e especial.

E com essa crença arraigada em suas mentes, as pessoas dizem que não se pode generalizar.

Mas, normalmente, quem rechaça generalizações o faz pra proteger o seu próprio ego e para defender a sua ilusão de individualidade.

Todos temos o mesmo código genético e a mesma programação biológica. Isso é inegável.

A falsa ideia de que “todos somos especiais e únicos” é propagada para alimentar o ego de quem se acha único e diferente de todas as outras 6 bilhões de pessoas do mundo.

Nós somos iguais a todos os outros. Nós somos feitos da mesma matéria orgânica em decomposição como tudo no mundo, como já diria Tyler Durden.

A generalização, assim, é uma afronta ao senso de alguém que tem o rei no umbigo.

Mas a verdade é uma única só.

Se eu sinto uma coisa diante de certa situação, tem mais bilhões de pessoas que provavelmente sentiriam uma coisa parecida diante dessa mesma situação.

Se eu reajo de certa forma, outras bilhões reagiriam de forma muito similar.

Se eu quero uma coisa, outras bilhões de pessoas também iriam querer se tivessem na mesma situação que eu estou.

Como generalizar de forma correta

Todas generalizações são falsas incluindo esta Mark Twain

Um dos problemas com a generalização é acreditar que sabe de absolutamente tudo sobre uma pessoa apenas ao olhar pra ela ou por observar uma atitude dela.

É óbvio que existem algumas atitudes claramente demonstram o caráter de uma pessoa a ponto de não precisar conhecer nada mais pra julgá-la.

Se alguém ri de ver um aleijado caindo no chão, ou diz que todos homens são estupradores, ou não vê problema algum em dirigir bêbado colocando a vida dos outros em risco, ou etc, isso demonstra muito do caráter dessa pessoa.

Porém, a melhor forma de generalizar é julgar (como é natural fazer) porém estar aberto a mudar essa noção inicial.

A generalização deve funcionar apenas para criar um quadro inicial da pessoa ou da coisa, mas mantendo a mente aberta.

Conforme se conhece a pessoa, a generalização inicial pode ser deixada de lado, caso se demonstre possível.

De vez em quando eu me surpreendo com as pessoas. E isso é sempre revigorante.

Fico muito feliz quando conheço alguém que é, de fato, diferente em certos aspectos. Ou quando conheço alguém que constrói algo ao invés de apenas consumir.

Com o Novo Homem conheci algumas pessoas assim, que me ensinaram muito e que já construíram coisas que melhoraram o nosso mundo.

Se eu fosse um arrogante de me achar melhor que alguém só porque milhares de pessoas entram no meu site procurando meus conselhos, nunca aprenderia nada de bom e nem teria conhecido pessoas que têm muito a ensinar.

Aliás, grandes merdas eu estar escrevendo isso aqui. Qualquer um com experiência de vida poderia escrever igual e provavelmente muito melhor que eu.

A única diferença entre eu e você é que eu dedico o meu tempo a crescer como homem e também o dedico a estar aqui digitando essas palavras.

Qualquer um que se dedicasse como eu dedico teria o mesmo nível que eu.

Enfim.

Conforme uma pessoa envelhece, mais ela tem experiências de vida e mais capaz ela se torna de generalizar corretamente.

Nós homens demoramos um pouco até chegar em uma idade de sabedoria, e quanto mais você viver e mais experimentar a vida, melhor vai conseguir identificar certos trejeitos e ações que vão te ajudar a delinear de forma muito precisa a personalidade de alguém.

Conclusão

Generalizar é uma necessidade inata do ser humano. Sem ela, não seríamos capazes de funcionar de forma hábil.

A generalização serve para te salvar de situações ruins e também a fazer parte de situações favoráveis.

Mas é importante sempre ter a mente aberta porque algumas vezes é possível ser surpreendido.

Uma mente que avalia as vivências passadas à luz da experiência, enquanto está disposta a compreender novas ideias e a considerar novos pontos de vista, é uma mente sábia.

 

COMPARTILHE ESTE ARTIGO COM UM AMIGO: