Skip to main content

Por que você não deve prestar atenção nas palavras dela, e sim em suas atitudes

Há alguns anos, eu estava em uma roda de amigos e surgiu a velha discussão sobre quem deve pagar a conta no primeiro encontro, o homem ou a mulher.

Uma das garotas da roda se comportou exatamente como algumas das mulheres que comentaram no meu último artigo.

Ela dizia que só saía com caras que pagassem a conta no primeiro encontro.

E ainda mais: se o cara não gastasse pelo menos 50 reais nesse primeiro encontro, ela não iria pra cama com ele.

Foi estranho ela dizer isso porque ela já tinha dado pra dois caras, só dentro daquela roda de amigos, que não tinham gastado 1 real com ela.

Nenhum deles tinha sequer levado ela para um encontro quando comeram ela: eles chamaram ela direto pra casa deles para “ver um filme”.

Ou seja, gasto zero.

O que me pegou de surpresa, e que não é relevante para o resto do artigo mas foi bastante engraçado, foi a resposta que um amigo deu.

Ele era um dos que não tinha comido ela, mas ainda assim não perdeu a oportunidade:

– Caralho! O cara vai ter que gastar 50 reais pra ir pra cama com você?

(ele armou a armadilha)

– É claro, não sou qualquer uma que sai dando por aí pra quem nem me valoriza.

(ela inocentemente caiu na armadilha)

– Porra, você devia ter me falado antes! 50 reais tá bom demais. Semana passada gastei R$200 em uma hora com uma mina lá do Casarão na Augusta!

(se você não sabe, Casarão é um puteiro que fica na rua Augusta, em São Paulo)

Quando ela pensa que é uma coisa, mas é outra

O que esse meu amigo insinuou é que essa garota é uma prostituta.

Essa mulher, ao dizer que só faz sexo com um cara se ele abrir sua carteira, quis dizer que ela não transa por tesão ou por gostar dele.

E sim pelo dinheiro dele.

Deixando de lado essa e a outra insinuação do meu amigo, a de que ela é uma prostituta mais barata do que as da rua Augusta, uma coisa a se prestar atenção do discurso dela é:

Ela afirma para todo mundo que faz uma coisa mas faz outra.

E ela não afirma isso apenas para os outros.

Ela afirma, ela “mente” para ela própria.

Isso é muito importante para você notar nas pessoas, tanto nas mulheres como nos homens.

Esse comportamento é extremamente comum e é importante entender que isso não é uma hipocrisia.

Todas as pessoas, homens e mulheres, projetam uma imagem do que gostariam de ser e de como gostariam de ser vistas pelos outros quando falam de si mesmas.

Pode ser que lá no fundo ela acredite que ela é daquele jeito mesmo.

Quando aquela garota falou aquilo, ela provavelmente lembrou das duas vezes em sua vida que ela transou com um cara que pagou tudo no primeiro encontro.

Mas ela esqueceu das cento e oitenta e duas vezes que o cara não pagou nada.

E assim a memória dela confirmou, para ela mesma, a imagem que ela queria que fosse verdade.

O nome desse fenômeno se chama viés de confirmação.

E é esse fenômeno que faz as pessoas acreditarem em signos.

Elas ouvem “pessoas de capricórnio são muito otimistas” e aí elas lembram exatamente quando elas foram otimistas em sua vida e pensam “nossa, verdade, sou otimista mesmo”.

No caso dessa amiga do exemplo, ela tem uma imagem interna do que gostaria de ser, e então expressa isso em voz alta para que os outros acreditem que ela é aquilo mesmo.

Mas a verdade é que ela não age da forma como ela disse que age.

E por mais que ela deseje ser diferente do que ela é, ela não consegue fugir dos seus instintos mais primitivos.

Ela não consegue decidir se sentir atraída por um cara que “valorize” ela.

Na verdade é muito mais provável que ela só consiga se sentir atraída por um cara confiante, e que ao invés de pagar por um jantar romântico vá chamar ela pra assistir um Netflix, pelada, na cama dele.

Porque a atração não é uma escolha.

A ideia equivocada do que é ser romântico

Quando uma mulher diz “eu só saio com caras românticos” ela não pensa no beta provedor, barrigudo e mal vestido, levando um buquê de flores pra ela.

Ela tá projetando um alfa, um homem seguro de si, um cara que se cuida, um cara que tem centenas de outras opções de mulheres mas que por algum motivo se apaixonou por ela e então se tornou um homem fofo.

Mas nesse sonho, o alfa se tornou fofo só com ela.

Veja bem, ela não está mentindo.

Ela quer um cara romântico, mas não o tipo de cara romântico que os homens submissos pensam que é o ideal.

O homem romântico que ela deseja é, na verdade, um alfa um pouco fofo.

Um cara que sabe o equilíbrio ideal entre ser fofinho e cafajeste (em geral, essa proporção é de 80% cafajeste e 20% fofinho, mas pode variar um pouco).

O cara “romântico” que faz ela sentir emoções parecidas com uma paixão é completamente diferente daquele cara que acredita que sua namorada é o centro da sua vida.

O cara ideal, até mesmo o de Hollywood, não é o cara carente e sem opções que vai se apaixonar pela primeira mulher que dê atenção pra ele.

Não é a toa que até os filmes românticos que fazem mais sucesso são os que mostram um “cafajeste que virou romântico”.

A “história de amor” que mais vendeu livros em toda a história da humanidade mostra exatamente isso: um cafajeste mulherengo que se apaixona perdidamente por uma garota comum e então se tornou um pouco fofo.

E ainda assim, perceba que o tal do cafajeste nunca pode perder essa sua parte “animalesca”.

Essa sua parte só foi dominada um pouco pela mocinha da história, mas ela ainda existe dentro dele.

Não julgue pelas palavras, julgue pelas atitudes

Esse é um dos conselhos mais conhecidos e menos valorizados na história.

Muita gente repete essas palavras sem utilizá-las.

Por dois motivos:

1. As pessoas acham que é errado JULGAR alguém, porque essa palavra carrega uma reputação muito ruim;

Coletivamente acredita-se que julgar alguém na verdade é pensar mal da pessoa.

E, por algum motivo obscuro, pensar mal de alguém faz com que a própria pessoa que fez esse julgamento também seja ruim.

Isso está muito longe da verdade.

Julgar e generalizar, desde que sejam feitos de forma racional e lógica, são duas atitudes importantíssimas para a sua saúde mental.

Considerar todas as pessoas equivalentes, independente de suas atitudes individuais, é um sinal claro de imaturidade.

Uma pessoa que não julga os outros é logo passada para trás, traída e manipulada.

2. É muito mais difícil entender a intenção de uma ação do que entender o significado de certas palavras.

Quando um cara que não tem experiência com as mulheres entra no Tinder e lê na biografia de uma garota:

“Não estou à procura de sexo casual. Quero um cara romântico que me valorize”

Ele logo pensa que aquela garota está a procura de algo sério.

Esse cara não tem a mínima ideia de que a garota escreveu aquilo para ter uma negação plausível depois que terminar o primeiro encontro na cama do cara, dizendo

“Eu nunca tinha feito isso na vida!”

Assim, esse cara ingênuo se mantém na sua ilusão de que ele não deve julgar, de jeito nenhum, a atitude da garota de ter ido pra cama com ele num primeiro encontro.

A sociedade diz que ele não pode pensar nunca que ela, possivelmente, mentiu para ele que não ia pra cama no primeiro encontro e que ela, possivelmente, também pode ter mentido que nunca tinha feito isso na vida.

O mais provável é que sim, ela faz sexo no primeiro encontro e já fez isso diversas vezes na sua vida.

Não que fazer sexo casual no primeiro encontro seja errado, muito pelo contrário. 

Se ela quer fazer sexo sem compromisso, que faça!

E de preferência comigo.

Agora, não perceber que provavelmente ela só escreveu aquilo no perfil para proteger a sua imagem é muita ingenuidade.

Do mesmo jeito, quando esse mesmo cara ingênuo ouve uma mulher falando “eu só saio com caras que pagam tudo no primeiro encontro!” ele logo acredita nisso.

E ele pensa que aquela garota é extremamente seletiva e difícil.

E ele pensa que pra comer ela, ele precisa dar dinheiro pra ela – mesmo que indiretamente, através do pagamento de um jantar, por exemplo.

Porém, o mais provável é que ela já transou com diversos caras que não deram o mínimo valor pra ela, mas que sabiam como deixar ela com tesão.

E que ela só estava falando aquilo porque ela almeja ser daquele jeito.

O que você deve levar desse artigo

Não pense que eu estou falando mal das mulheres que dão na primeira noite.

(e eu sei que vão ter mais mulheres me xingando nos comentários de novo porque são incapazes de entender as sutilezas do que escrevi)

Na verdade eu adoro essas mulheres mais “soltas” e eu encorajo que as mulheres que têm essa vontade, que façam isso.

Essa minha amiga mesmo, tinha dado pra dois outros amigos, e eu não pensei mal dela por esse fato.

Eu quero é que ela seja feliz e que ela faça os outros felizes.

O que eu estou dizendo é para você não confiar 100% no valor das palavras – tanto das mulheres quanto dos homens também.

Os seres humanos – mais uma vez, homens e mulheres – tentam, acima de tudo, proteger o seu ego para se sentirem bem consigo mesmos.

Todos querem um tapinha nas costas e que achem que eles são únicos e especiais.

Então, da próxima vez que alguém disser “eu sou assim” não entenda que essa pessoa é exatamente assim.

Entenda que “assim”, na verdade, é o que ela gostaria de ser.

 

 

FAÇA UM AMIGO PARAR DE CONFIAR NO QUE VOCÊ DIZ, COMPARTILHE COM ELE:
  • Como sempre artigo matador. Parabéns Denis 😉

  • João Nuno

    que texto!

  • Alexsandro Pimentel

    Denis como agir com mulheres que pedem de tudo no primeiro encontro?

    • Maurcio Perna

      Dizendo “não” quantas vezes for necessário.

    • Como o Perna falou: dizendo “não” quantas vezes for necessário. Não é sua obrigação pagar nada para uma mulher num primeiro encontro, assim como não é obrigação dela de te beijar ou transar com você.

  • Maurcio Perna

    Bom texto, mais uma vez! Continua o bom trabalho!

    • Valeu Perna (e já agradeço a todos outros, João, Uilian, etc)

  • Diego Silva

    Teria como te mandar uma mensagem por email Dênis?

    • Denis Carvalho (admin)

      Diego, meu email tá ficando tão lotado ultimamente que não consigo mais lidar. Pode escrever aqui nos comentários mesmo.

    • Diego, meu email tá ficando tão lotado ultimamente que não consigo mais lidar com ele. Pode escrever aqui nos comentários mesmo.

  • Diego Silva

    Eu passei por uma tão cabulosa, que o Dênis provavelmente faria uma matéria sobre Isso..

  • Josenildo Guedes

    Ótimo texto, cara. Desde que eu comecei a acompanhar o seu site eu tenho evoluído muito. Eu costumava andar de cabeça baixa, mal tinha amigos e tinha vergonha de conversar com as mulheres. Mas agora eu até já me dei bem. Valeu aí 😁

    • Adoro ler essas histórias de sucesso! Continue sempre em frente, Josenildo. A gente às vezes falha, mas devemos sempre manter a cabeça levantada.

  • Yago

    Denis, existe no site algo sobre como tirar fotos para esses sites e aplicativos de relacionamento? não tenho noção nenhum sobre o assunto

    • Rafa

      Tem alguns textos sobre isso sim.