A pornografia está destruindo sua vida sexual – parte 1

A pornografia está destruindo sua vida sexual – parte 1

Se eu lesse um título de algum artigo como esse tempos atrás, a primeira coisa que eu pensaria é “foda-se esse texto, jamais lerei algo com viés religioso”.

Eu realmente não estaria dando a mínima pra qualquer um que dissesse que uma das atividades mais prazerosas da minha vida estaria fazendo mal pra mim.

E, com certeza, acreditaria que esse texto foi feito por algum religioso conservador.

Seria o mesmo que alguém falasse “comer pizza faz mal pro coração”.

Minha resposta seria: foda-se meu coração.

O problema é que a pornografia começou a afetar o meu desempenho sexual.. e meu desempenho sexual é bem mais importante do que o meu coração.

Clique aqui pra ler a segunda parte do artigo.

Nos últimos tempos tenho percebido que a pornografia cria uma mentalidade errada sobre o sexo, o que torna o sexo ‘real’ muito menos prazeroso e com um menor apelo do que a tela do computador.

Basicamente o que a pornografia faz é criar uma expectativa impossível de ser alcançada por mulheres normais.

Eu sei, eu sei.

Parece ser um papo super careta e fresco.

Eu também achava isso.

Eu também odiava quando alguém criticava a pornografia, até que um dia eu resolvi parar de assistir pornô e minha vida sexual melhorou de forma drástica.

As melhores transas da minha vida aconteceram em períodos que eu passava dias sem me masturbar.

As transas mais memoráveis, aquelas que eu jamais vou esquecer, aconteceram em períodos de abstinência de pornografia.

Coincidência?

O raciocínio é simples: se você não tem orgasmos através da masturbação, como é que você vai conseguir orgasmos?

A resposta é óbvia: através de sexo real.

Com uma mulher, com um homem, tanto faz.

Quando você não goza regularmente pra sua mão, sua mente vai suplicar por sexo real.

Há algum tempo tem sido muito divulgados estudos sobre como a pornografia está modificando o comportamento dos homens em relação ao sexo.

Os principais sintomas desse vício são: disfunção erétil, incapacidade de manter a ereção durante todo o ato sexual, incapacidade de orgasmo, diminuição drástica do prazer e até mesmo mudança de gostos sexuais.

Sim, a pornografia pode te deixar broxa.

Sim, a pornografia pode te fazer perder a vontade de fazer sexo.

E sim, a pornografia pode até mudar sua orientação sexual.

Streaming pornô: como ele acaba com a sua sensação de prazer e confunde seus hormônios

Gary Wilson, neurocientista, autor do site Your Brain on Porn (O seu cérebro na pornografia, tradução literal) tem uma série de vídeos que explica o motivo biológico pelo qual a pornografia atual desregula os seus receptores de dopamina – em outras palavras, como o cérebro deixa de sentir prazer em atividades normais devido ao excesso de pornografia.

O cérebro masculino é programado para fertilizar o máximo de mulheres possíveis, instintivamente.

Assim que um homem goza, ele perde sua ereção devido à ação de diversos hormônios, e demora uma média de 20 minutos pra se restabelecer para o sexo novamente.

Mas foi descoberto que isso não acontece caso surja uma nova mulher para satisfazer seus desejos. S

e aparecesse uma mulher nova a cada orgasmo que o homem tiver, o tempo de recuperação dele que era de 20 minutos cai para 3 minutos. Isso se chama Efeito Coolidge.

Basicamente esse Efeito Coolidge faz com que a sua dopamina – um dos hormônios que regulam o prazer – se eleve a níveis altíssimos quando você está excitado e vá caindo com um tempo em uma relação sexual normal.

Porém, quando você assiste a streaming pornôs, o nivel hormonal sobe e desce diversas vezes até você chegar ao orgasmo.

Por que isso acontece apenas no streaming pornô? Responda para você mesmo: quantas vezes você se masturbou assistindo a apenas um vídeo pornô?

Pois o que acontece com o seu cérebro é o seguinte: você vê a uma cena de uma atriz e sua produção de dopamina sobe drasticamente;

você cansa dela e troca de vídeo e de atriz, e sua dopamina sobe mais uma vez;

você não gosta tanto da cena e procura por outra e sua dopamina sobe de novo;

você acha que o tipo de cena é muito ‘normal’ e decide procurar alguma cena um pouco mais pesada, e sua dopamina sobe mais uma vez;

e então esse comportamento se segue por muito tempo, podendo abrir até 10 abas do navegador só de pornografia, até você atingir o orgasmo..

Essas quantidade absurda de dopamina que é produzida pelo cérebro acaba afetando os receptores do hormônio, que ‘transportam’ a sensação de prazer.

Ou seja, quanto mais dopamina, mais afetados ficam os receptores.

Quanto mais afetados ficam receptores, uma quantidade maior de dopamina é necessária pra dar a mesma intensidade de prazer à pessoa.

E o ciclo vai se repetindo e repetindo.

É mais ou menos como funciona o vício em drogas pesadas.

No começo, só um pouquinho te deixa completamente alterado.

Depois de um tempo usando você precisa de uma dose maior e maior.. até chegar em um patamar que você está completamente viciado.

Muitos homens passam a intensificar cada vez mais os gêneros de pornografia para manter o mesmo nível de prazer.. começa ccom sexo normal, depois vai pro menage, depois pro grupal, cinco homens e uma mulher, bukakke, incesto, bissexualidade..

Segundo Gary Wilson, existem relatos de algumas pessoas que são heterossexuais, mas que passaram a se masturbar para filmes de travestis e até filmes homossexuais.

Claro que esses casos são extremos, mas demonstram bem como o cérebro pode ser afetado.

Você já se pegou se masturbando pra algo que, após terminar de gozar, sentiu vergonha ou com nojo de si mesmo? Então fique atento, pois seu cérebro já está viciado.

No próximo artigo eu vou falar um pouco mais sobre como a pornografia tem feito com que homens passem a ter problemas de disfunção erétil – ou melhor, como o seu inocente hobby pode te fazer ficar broxa.

Link aqui:

A pornografia está destruindo sua vida sexual – Parte 2

By |24 de Fevereiro|Básico, Sexo|